ChampCar: Bruno Junqueira tem final de semana difícil em Portland

Para o vencedor Sebastien Bourdais, que confirma a liderança do campeonato, um domingo especial, com o centésimo triunfo da Newman/Haas/Lanigan na F-Mundial. Para o mineiro Bruno Junqueira (Telemont/Brasil Telecomunicações), um fim de semana para se esquecer, e voltar as atenções para a etapa de Cleveland, no dia 24. Sem ter nas mãos um carro competitivo como nas três primeiras corridas do ano, o único representante brasileiro na categoria não economizou empenho, mas viu seu esforço recompensado apenas com a 13ª posição no GP de Portland, quarta etapa da temporada. Se inferior ao esperado, o resultado manteve Junqueira entre os primeiros colocados na classificação – é sexto, com os mesmos 61 pontos do espanhol Oriol Servia (Forsythe).

 


Apesar da expectativa de chuva, o domingo foi de tempo bom na cidade do Oregon e a corrida acabou marcada pelo pequeno número de incidentes e pelo grande equilíbrio no pelotão intermediário, com trocas constantes de posição ao longo das três janelas para reabastecimento. Bruno, que já havia tido boa parte da perspectiva de recuperação comprometida com a chuva no treino oficial de sábado, que o impediu de melhorar a 14ª posição no grid, ganhou uma posição na largada (a primeira com os carros parados na história da categoria). O esforço para prosseguir a subida na classificação praticamente caiu por terra com a perda do sinal da telemetria e do rádio.


Sem contato com os boxes, ele não pôde contar com a ajuda da equipe a não ser nas paradas e teve de seguir uma estratégia convencional de pitstops, sem a possibilidade de mudanças. Ao receber a bandeirada, a certeza de que o bom desempenho nas três primeiras corridas do ano tem tudo para se repetir já a partir da corrida de Cleveland.
“Por alguma razão que ainda precisamos identificar, perdemos o sinal da telemetria ainda antes da largada, e tendo ainda problemas na comunicação do radio na segunda metade da corrida, praticamente corria sozinho, conseguindo contato com a equipe apenas nos pit stops. Foi uma corrida dificil, meu pior resultado nessa temporada, mas espero que consigamos nos recompor e voltar para a etapa de Cleveland mais fortes”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *