ChampCar: Carnaval de muito trabalho para Bruno Junqueira

Pode o ano novo começar no carnaval? Confusões à parte, a resposta é sim quando se trata do calendário do mineiro Bruno Junqueira (Telemont/Brasil Telecomunicações) que, desde a prova de encerramento do campeonato da ChampCar de 2007, o GP do México, em novembro, está longe das pistas.

De amanhã a segunda-feira, o piloto brasileiro se reencontra com o Panoz/Cosworth da equipe Dale Coyne, para o primeiro treino coletivo da categoria na temporada, em Sebring (Flórida). Pela frente, três dias de muito trabalho, que as escuderias procuram aproveitar ao máximo, fazendo observações e mudanças no acerto em condições de qualificação e corrida, dado o limite de dias de testes previsto no regulamento da competição.

Ao contrário do que ocorreu ano passado, quando teve no circuito seu primeiro contato com o novo chassi, que havia sido entregue às equipes dias antes, desta vez Bruno terá nas mãos um conjunto bastante conhecido – em relação aos Lola usados até 2006, o Panoz trouxe novidades como o câmbio semi-automático, acionado por borboletas no volante. Agora, será a vez de buscar pequenos avanços nas regulagens de chassi, suspensão e aerodinâmica, que muitas vezes parecem insignificantes, mas podem fazer a diferença em uma série tão competitiva.

Com ele nas mãos, o mineiro conseguiu a melhor campanha da Coyne em mais de duas décadas na categoria, fazendo valer a experiência acumulada em sete anos, que lhe valeu os vice-campeonatos em 2002, 2003 e 2004. Ele foi o grande nome da fase européia da temporada, conquistando o segundo lugar no GP da Bélgica, em Zolder, e o terceiro no GP da Holanda, em Assen, voltando ao pódio em Surfers Paradise (Austrália), com mais uma terceira posição.

A escolha do circuito da Flórida não ocorre por acaso: além da localização privilegiada, distante do frio e da neve que marcam o inverno em boa parte dos EUA, o traçado de 2.680m – parte do circuito usado nas tradicionais 12 Horas de Sebring – é reconhecido como o banco de provas ideal para os traçados do campeonato, devido aos trechos com piso de concreto, as ondulações, freadas fortes e curvas de baixa velocidade. Este é o primeiro dos três testes que antecedem a abertura da temporada – o tradicional GP de Long Beach, em abril. Em março, pilotos e equipes vão acelerar em Laguna Seca, no Spring Training, e no circuito MSR Houston, no Texas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *