ChampCar: Junqueira pronto para o primeiro desafio

Foram dez meses sem sentir o gostinho de medir forças com os adversários, brigar por pódios e vitórias. Transformado em passado todo o esforço para se recuperar do grave acidente nas 500 Milhas de Indianápolis, em que fraturou duas vértebras, e a fase de recuperação, um Bruno Junqueira (Banco Rural/Telemont/Grupo A & C) zero quilômetro disputa hoje, em Long Beach, os primeiros treinos para a abertura do campeonato da F-Mundial/2006.


De volta ao comando do seu Lola/Cosworth da equipe Newman-Haas, o mineiro inicia sua sexta temporada na competitiva categoria norte-americana, com uma motivação diferente. Hoje, às 18h30 (de Brasília), ele participa do primeiro treino oficial do ano, que apontará o pole provisório, que conquistará um ponto e terá lugar garantido na primeira fila do grid para a prova de domingo.

“Meu primeiro objetivo é me divertir e fazer ótimas corridas. Desta vez estou iniciando o campeonato sem me concentrar no título – quero render o máximo que posso. Sei que se pilotar como vinha fazendo nos anos anteriores posso conquistar vitórias e ser campeão, mas não estou preocupado com isso no momento”, explica Bruno, que não esconde, no entanto, a satisfação com o bom desempenho nos testes de pré-temporada. Tanto em Sebring quanto em Fontana, o piloto da Newman-Haas esteve constantemente entre os mais rápidos e, mais do que isso, se concentrou em chegar ao acerto ideal para as condições de corrida. Neste ano, Bruno terá um novo engenheiro, Tom Smith, que em 2005 trabalhou com o companheiro de equipe do mineiro, Sebastien Bourdais. Mesmo nova, a parceria já traz resultados animadores.

Bruno não esconde que, embora tenha participado das 12h de Sebring, em março, na sua estréia em provas de resistência, a corrida do fim de semana tem um sabor especial. Além de marcar a volta à F-Mundial, da qual se despediu em maio de 2005 com vitória em Monterrey, no México, as ruas de Long Beach representam um de seus traçados prediletos. “Long Beach é uma pista que eu adoro. Estive no pódio nos últimos três anos, o que mostra que tive sucesso aqui e espero que possamos conseguir mais um bom resultado. Claro que torço para que tenhamos um grande fim de semana”, diz o mineiro, pole em 2004, que aponta o companheiro Bourdais, o canadense Paul Tracy (Forsythe) e o inglês Justin Wilson (RuSport) como principais rivais.

Para a temporada de 2006, a Champ Car, organizadora da categoria, aposta na continuidade. Os chassis, pelo último ano, serão os Lola, que em 2007 darão lugar aos Panoz, e os motores são os confiáveis Cosworth V8 Turbo, com dispositivo “Push-to-Pass”, que garante 50 cavalos extras de potência por 60 segundos ao longo da corrida. Os pneus são os Bridgestone, com a possibilidade de uso de um composto extra-macio e mais rápido durante a prova. Em cada sessão de qualificação, os pilotos têm um limite de 15 voltas cronometradas, com 20 minutos de bandeira verde. Entre os rookies (novatos), destaque para a inglesa Katherine Legge, da PKV Racing, terceira colocada da F-Atlantic em 2005. O ano de 2006 marca a volta do circuito de Road America, um dos mais desafiadores do automobilismo norte-americano ao calendário, além da estréia de Ansan, pista construída especialmente para receber a categoria na Coréia do Norte. Ao todo serão 15 etapas, sendo que apenas uma, o GP de Milwaukee, será disputada em circuito oval.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *