ChampCar: Junqueira termina em oitavo e faz balanço positivo da temporada

O quarto pódio consecutivo não veio mas, ao descer de seu Panoz/Cosworth depois das 63 voltas do GP do México, que encerrou a temporada da ChampCar no Circuito Hermanos Rodríguez, o mineiro Bruno Junqueira (Brasil Telecomunicações/Telemont) tinha bons motivos para satisfação, embora não tenha podido confirmar seu objetivo para o fim de semana.

Afinal, o oitavo lugar na prova, vencida pelo francês Sebastien Bourdais (Newman-Haas-Lanigan), o representante brasileiro na categoria confirmou a nona posição final no campeonato, superando adversários de equipes com estrutura mais forte e confirmando o melhor ano da Dale Coyne Racing na história do campeonato.

Na corrida deste domingo, já antes da largada Bruno sabia não ter nas mãos um carro competitivo, sofrendo com os mesmos problemas de acerto que comprometeram seu desempenho nos dois dias de treinos. Integrante de uma disputa emocionante pelo quinto lugar final na classificação, o piloto tinha como objetivo superar os rivais diretos, tarefa mais complicada com a largada na sexta fila. Mais uma vez com uma pilotagem agressiva e o bom trabalho do time nos pitstops, o mineiro conseguiu recuperar posições e recebeu a bandeirada em oitavo, a menos de 16 segundos do vencedor. Mostra do equilíbrio nas posições intemediárias, apenas cinco pontos o separaram do espanhol Oriol Servia, que terminou o ano em sexto.

“No warm up dessa manha ficou claro que não tínhamos um carro competitivo, e meu maior objetivo passou a ser ficar na frente dos pilotos com os quais eu disputava posições na classificação da temporada. Mas infelizmente, apesar de termos conquistado posicoes na corrida, perdi ainda dois postos no campeonato, não tendo ficado à frente de quem precisava. Não era assim que esperava terminar a temporada, realmente me entusiasmei muito com os resultados das ultimas provas, e passei a acreditar num melhor final, quem sabe ate igualar meu resultado do ano passado, ainda com a equipe Newman/Haas, quando terminei em quinto, mas desde da primeira sessão de treinos livres aqui percebi as dificuldades, não achamos um bom acerto, e isso nos custou muito”.

Bruno fez um balanço positivo de um ano marcado pelo acerto com a Coyne apenas às vésperas da primeira etapa, e que viu o Panoz de número 19 chegar ao segundo lugar em Zolder (Bélgica) e em terceiro em Assen (Holanda) e Surfers Paradise (Austrália): “Num ano de fortes pontos altos e baixos, em que apenas na semana da primeira corrida eu finalmente fui confirmado pela equipe Dale Coyne, conseguimos um desempenho bom nas primeiras provas, e depois resultados muito ruins em seqüência, para então novamente crescer no campeonato, com bons resultados e três pódios nas ultimas corrida ate aqui, termino o ano infelizmente num momento ascendente, mas num panorama geral satisfeito pela grande evolucao em que alcancamos na equipe”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *