Coluna: E os meninos venceram…, por Vitor Garcia

O GP da Espanha de Fórmula 1 não poderia ter sido melhor: o final de semana começou muito bem com o brasileiro Felipe Massa da Ferrari cravando a pole position em uma volta mágica superando o piloto local e bicampeão da categoria, Fernando Alonso.


Logo após o treino oficial da categoria máxima do automobilismo mundial, é a vez dos jovens pilotos que almejam alcançar um lugar na F1 entrarem na pista, disputando o campeonato de GP2. Nessa categoria, entre as jovens revelações temos alguns brasileiros como: Antonio Pizzonia, Alexandre Negrão, Sérgio Jimenez, Lucas di Grassi e Bruno Senna.

 


Entre todos os brasileiros, quem chama mais atenção, claro é Bruno Senna. Apesar da pouca experiência no automobilismo, Bruno carrega um sobrenome muito forte, herdado pelo tio, o grande ídolo brasileiro.


 


Bruno pode até lembrar fisicamente o tio Ayrton, mas as semelhanças terminam por aí. O jovem piloto não é e nem almeja ser igual ao tio, inclusive seus estilos de pilotagem são muito diferentes, mas nesse GP da Espanha o piloto de 23 anos mostrou que não chegou até onde está apenas por causa do sobrenome famoso, o garoto fez uma prova de gente grande, sabendo acelerar quando preciso e pilotar com a cabeça em outros momentos, alcançando assim sua primeira vitória na categoria, e de quebra a vice-liderança.


 


Depois de ouvir o hino nacional no sábado com o Bruno, o domingo começou quente e com muita poeira: Felipe Massa largando na pole disputou a primeira curva com Fernando Alonso, que corria em casa, porém o espanhol levou a pior, não conseguiu fazer a curva e perdeu a chance de triunfar em frente aos milhares de fãs.


 


Melhor para nós, que mais uma vez pudermos ver nossa bandeira verde-amarela no alto do pódio, e a certeza que temos um piloto com força e garra para trazer o título mundial que não vencemos desde 1991, com o tio de Bruno.


 


A conquista do título ainda é muito cedo para afirmar, porém as chances são enormes. E a safra de bons pilotos brasileiros não deve parar tão cedo, pois além de Felipe, no próximo ano ainda deveremos ter Nelsinho Piquet e o próprio Bruno Senna representando nossas cores.


 

São os meninos do Brasil enchendo de orgulho mais uma vez nossos domingos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *