Copa Clio: Frediani e Rolf se destacam em vitória imbatível de Cordova

Os dois pilotos largaram fora do grupo dos dez primeiros e mesmo assim foram ao pódio. José Cordova, em outra dimensão, ganhou com sobras.

Para um, foi o segundo pódio consecutivo da temporada. Para o outro, o primeiro desde a vitória em Santa Cruz do Sul (RS), no ano passado. Em comum, o fato de ambos terem feito uma grande corrida na quarta etapa da Copa Clio, disputada neste domingo (13), em Interlagos (SP). Luiz Frediani, da Bolívar Motorsport, e Rolf Gemperli, da Officer Black & Decker Racing, podem ser considerados os destaques de uma prova onde, mais uma vez, o paranaense José Cordova, da W Racing, esteve imbatível. Ele ganhou com tranqüilidade e disparou na liderança do campeonato rumo ao tri.

Luiz Frediani cruzou a linha de chegada em quarto e, com a punição de José Vitte em função de um toque, subiu para o terceiro lugar. Seu segundo pódio consecutivo em três corridas – foi o quinto colocado em Brasília. Assim como na prova passada, ele fez uma corrida inteligente. “Fui chegando, fui me encaixando e aí quando você vê as primeiras posições ganha um ânimo extra, então foi muito bom”, comemorou o piloto, que havia largado em 11º lugar e em nenhum momento teve um carro realmente rápido. “O que nós tínhamos era constância”, analisou.

De fato, sua melhor volta na prova foi pior que a dos quatro pilotos que chegaram atrás dele. “Larguei numa posição ingrata, o motor não rendia tão bem, o jeito foi vir numa boa. O tempo de volta não era ruim, não, mas era tempo para ficar ali, no pelotão intermediário. Só que eu não podia ficar parado, eu devia isto para a equipe, que trabalhou tão bem e trocou meu motor em uma hora hoje antes da corrida. Este é o ponto positivo da Copa Clio. Mesmo atrás no grid, você ainda vê os líderes e consegue se recuperar”, acrescentou.

A alegria dele podia ser comparada a de Rolf Gemperli, que chegou em quinto lugar, logo atrás de André Bragantini, conquistando seu primeiro pódio desde a vitória em Santa Cruz do Sul. “Eu não imaginava este pódio, mas o pessoal foi se enroscando e eu fui subindo, o que me faz acreditar que se eu tivesse largado mais na frente dava para fazer um estrago grande”, brincou o piloto, que partiu do 13º lugar. “Os dois primeiros estavam muito longe, mas só não cheguei no (Luiz) Frediani porque o André (Bragantini) veio me trancando o tempo todo”, contou.

“Mas o carro era muito bom. E eu precisava deste resultado. Tive muita falta de sorte nas outras etapas. Na primeira passagem por São Paulo tive um acidente feio, na corrida de Brasília foi um ‘Deus nos acuda’ porque o carro não andava nada, então isto aqui serve para melhorar o ânimo. Agora, só precisamos evoluir um pouco na tomada de tempo que tudo fica perfeito”, revelou. A próxima etapa da Copa Clio está marcada para o dia 7 de setembro no Rio de Janeiro (RJ). A liderança do campeonato está com José Cordova, com 100 pontos. José Vitte é o segundo com 55.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *