Copa Vicar: Classificação é marcada por bandeiras vermelhas e chuva

Santa Cruz do Sul amanheceu com o tempo chuvoso, era prenuncio de uma sessão de classificação complicada para equipes e pilotos. O treino iniciou com a pista muito molhada mas com chuva fraca, o asfalto escorregadio acabou traindo vários pilotos e a todo instante ocorria uma paralisação para retirada de carros que rodaram e pararam em posição perigosa.

Eduardo Santos (Majal, Shiptec) foi uma das primeiras vitimas da chuva. “Estava abrindo minha volta rápida e acho que acreditei muito, acabei rodando no final da reta e por pouco não fico de fora. Tínhamos um carro bem acertado para pista muito molhada, quando foi secando já não éramos tão rápidos. Acredito que estaríamos mais pra frente se a chuva tivesse continuado forte”.

“Não foi uma catástrofe, mas poderia ter sido muito melhor”. Com esta frase Serafin Junior (Majal, Shiptec, Esbra) definiu seu desempenho na classificação. “Quando o dia amanheceu, tivemos uma reunião e decidimos optar por um acerto para piso molhado. No inicio do treino fomos bem, quando a chuva parou e resolvemos mexer no carro choveu novamente e desistimos, só que a chuva foi pouca e andamos pra trás”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *