Copa Vicar: Diogo Pachenki mantém liderança mesmo com vitória de Gonçalves

iloto paranaense da ALM Pachenki Motorsport submete-se a corrida de recuperação em Brasília para seguir à frente na pontuação da Copa Vicar.

Numa etapa conturbada e marcada pela luta dos pilotos contra o desgaste excessivo dos pneus, sempre característico das corridas realizadas no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília, Diogo Pachenki manteve na tarde deste domingo (3) a liderança da Copa Vicar Stock Car. Largando em 14º, o piloto da ALM Pachenki Motorsport recebeu a bandeirada final em quinto. A vitória foi do paulista Tiago Gonçalves, da DCM Motorsport.

A atuação de recuperação nas 35 voltas da etapa brasiliense foi suficiente para que Pachenki, campeão de 2004, mantivesse-se em primeiro lugar na tabela de classificação. Vencedor da corrida de março em Interlagos, ele foi a 37 pontos, apenas um à frente do paulista Rafael Daniel, vice-líder, que terminou a prova em terceiro lugar. O segundo na etapa deste domingo foi o gaúcho Juliano Moro, que exerceu forte pressão à liderança de Gonçalves nas voltas finais.

“Sempre que tive oportunidade, andei bem”, resumiu Pachenki. “Procurei aproveitar todas as oportunidades de me aproximar dos pilotos quem iam à minha frente. Aí, eu fazia de tudo para ultrapassar. Quando o pelotão andava bem, eu não acompanhava. Quando eles brigavam, eu chegava”, explicou, satisfeito com o rendimento do carro número 8. “O carro melhorou bastante em relação aos treinos de classificação, mas ainda estava saindo um pouco de frente”.

Posicionado em 14º no grid, Pachenki conseguiu evitar o acidente que, já na largada, tirou da disputa os pilotos Pedro Boesel, Cássio Homem de Mello, Renato Russo e Cristiano Federico. “Felizmente consegui sair ileso, o acidente foi exatamente ao meu lado. Pelas circunstâncias do fim de semana, esse resultado ficou de bom tamanho. Ficou ótimo. Eu planejava terminar entre os seis primeiros. Fui quinto e ainda sou líder do campeonato. Não há do que reclamar”, disse.

O acidente suspendeu o início da corrida. A nova largada, com 25 carros na pista, foi dada cerca de 25 minutos depois, com o Safety Car na pista durante duas voltas. Pachenki fechou a terceira volta, a primeira sob bandeira verde, em 11º. Entre a quinta e a sétima, ganhou mais três posições. Na décima, era sétimo, posição em que permaneceu até o acidente com Serafim Júnior na entrada da reta dos boxes, que provocou nova intervenção do Safety Car.

A relargada foi dada na abertura da 18ª volta. Quatro passagens depois, Júlio Campos teve de cumprir um drive-thru como punição e Pachenki subiu para a sexta posição. O quinto lugar foi conquistado com a ultrapassagem sobre o pole-position André Bragantini, na 24ª volta. “Nas voltas finais, me aproximei bastante do (Felipe) Lapenna, mas não deu para passar”, lembrou Pachenki, que tem no carro número 8 as cores de Marisol e One Store.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *