Copa Vicar: Equipe ATW pronta para o desafio da nova Copa Vicar

Stock Car Light muda de nome e de perfil. Mas o objetivo de Cristiano Federico permanece o mesmo: a vaga na categoria principal.

Não foi uma simples troca de nome. O que antes era apenas uma divisão de base, por onde se passava para ganhar experiência, transformou-se num campeonato paralelo, quase como uma outra Stock Car, onde a motivação é a possibilidade de ascender à classe principal no ano seguinte. Assim será a nova Copa Vicar, antes chamada de Stock Car Light, agora cada vez mais parecida com a Copa Nextel Stock Car. Pela primeira vez, a categoria terá carrocerias multimarcas, com carros representando Peugeot, Mitsubishi e Chevrolet, as mesmas fabricantes presentes no torneio superior.

A idéia dos promotores é que além de servir de base para aprendizado de pilotos, a Copa Vicar seja a plataforma de acesso à Copa Nextel Stock Car, premiando a equipe campeã com uma vaga na categoria principal. Mais ou menos como já foi feito na temporada passada. A diferença é que, até 2007, não havia limitação entre os times participantes, regra que passa a vigorar a partir de agora. Este crescimento da antiga Stock Car Light não é assim tão surpreendente. Que o diga Cristiano Federico, piloto e proprietário da equipe ATW Motosports, que há muito esperava por isso.

“Quando criamos o time, no início do ano passado, não estávamos pensando apenas em ganhar experiência. A idéia sempre foi formar uma estrutura que nos permitisse brigar pelo título e, conseqüentemente, alcançar uma vaga na Copa Nextel Stock Car. No primeiro ano, não foi possível, mas a meta continua a mesma para 2008”, afirma o piloto, que formará dupla com Renato Russo nesta temporada. Para cumprir o objetivo, o time não se contentou apenas em manter a relação de profissionais e foi buscar na equipe campeã, a Nova RR Competições, os reforços necessários.

De lá, veio um novo engenheiro, Ernesto Morando. Ele chega para completar um grupo que tem no comando o experiente Rodolfo Perdomo, engenheiro uruguaio que já esteve na Fórmula 1, pela equipe Jordan. “Não haverá separação por piloto. Os dois engenheiros estarão trabalhando para mim e para o Renato Russo. Se o nosso objetivo é chegar à Copa Nextel Stock Car, o primeiro passo é reforçar a parte de ajuste do carro, que no final do ano passado já havia melhorado muito”, revela Cris. Junto com Ernesto, também vindo da Nova RR, chegou o mecânico Fumaça, Luís André Maller.

Todos eles estão trabalhando na nova sede da ATW, em Barueri (SP), onde os carros já estão prontos. Só falta a pintura. Daí a colocá-los na pista, é outra história, já que a categoria não permite treinos particulares. Aos pilotos, resta manter o condicionamento físico e treinar os reflexos no kart. A modalidade foi a opção de Cristiano Federico e Renato Russo na pré-temporada. Desde janeiro, eles vêm treinando com karts com marchas, para enfrentar o longo período de quatro meses sem corridas. “Aproveitamos a pré-temporada para deixar tudo em ordem e estamos prontos”, conclui Cris.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *