Copa Vicar: Pachenki larga da décima fila para mais uma prova de recuperação na Copa Vicar

Vice-líder do campeonato reconhece que condição de pista variável anulou efeito da estratégia no treino classificatório em Jacarepaguá.

É do baiano Diego Freitas a pole-position na sexta etapada Copa Vicar Stock Car. No treino classificatório deste sábado (30) no Rio de Janeiro, ele foi 0s065 mais rápido que o carioca Cláudio Capparelli, destaque do fim de semana, que larga da primeira fila pela primeira vez na categoria. A prova no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Jacarepaguá, será disputada neste domingo (31), com largada às 13h.


Fábio Carreira, líder do campeonato com três vitórias, vem logo atrás, em terceiro. A volta do paulista foi 0s252 mais lenta que a de Freitas. O paranaense Diogo Pachenki, segundo colocado na tabela de pontos, terá trabalho extra para manter a disputa com Carreira pelo título de 2008. Ele vai alinhar apenas em 19º com o carro da ALM Pachenki Motorsport, com um tempo 1s016 pior que o do pole da etapa carioca.


“No começo do treino a pista estava molhada, todos viravam tempos altos. Quando pus o jogo de pneus novos, o asfalto já estava secando, mas nós deveríamos ter esperado mais para ir à pista. Fiz meu tempo e fui para o box, só que a pista continuou secando e todo mundo melhorou”, resumiu o piloto, recordista de vitórias da categoria. “De novo, vou ter que tentar uma corrida de recuperação, mas minha chance diminui bastante”.


Na etapa passada, no circuito paulista de Interlagos, Pachenki saiu em vigésimo para marcar pontos em oitavo. Carreira venceu e ampliou sua liderança. “Eu tinha ficado em quarto lugar os treinos livres com um carro que não tinha um bom equilíbrio. Hoje o carro estava bem melhor, o trabalho que a equipe fez foi eficiente, mas fizemos uma aposta na condição de pista e a nossa aposta não foi a mais acertada. É complicado”, disse.


Diogo, que leva no Mitsubishi Lancer número 8 a menção a Minon, reconhece que vencer no Rio é “missão quase impossível”. “Antigamente era possível um piloto largar lá atrás e ganhar, eu mesmo ganhei corridas assim na Stock Car Light, mas hoje o equilíbrio é muito grande. Todo mundo anda igual, ou quase igual, as diferenças são muito pequenas. Vou ter de andar tudo o que puder e mais um pouco”, comprometeu-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *