Copa Vicar: Pachenki vai ao pódio em Brasília e mantém chance única de ser bicampeão brasileiro

Daniel vence pela segunda vez, líder Carreira marca apenas um ponto e paranaense depende de vitória na etapa final para ficar com o título.

A expectativa de definição antecipada do título caiu por terra na oitava e penúltima etapa da Copa Vicar Stock Car, disputada neste domingo (9) no Autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília. A segunda vitória consecutiva do paulista Rafael Daniel foi marcada pelo segundo lugar do paranaense Diogo Pachenki, vice-líder, e pela rodada que deixou o também paulista Fábio Carreira, líder, apenas em 15º no resultado final.


A combinação dos resultados dos dois únicos pilotos que desembarcaram na capital federal com chances de conquista do título adiou para a corrida de 7 de dezembro, no circuito paulista de Interlagos, a definição do título de 2008. Carreira segue como franco favorito. A única possibilidade do paulista não ser o campeão combina fatores que o impeçam de terminar a corrida de daqui a quatro semanas na zona de pontos a necessidade de uma vitória de Pachenki.


“Minha chance é muito pequena, mas levar a decisão para a última etapa é importante. Afinal, se existe uma possibilidade de eu ser campeão, por que não apostar nela?”, anima-se o paranaense da ALM Pachenki Motorsport, detentor do título da categoria em 2004. “A vitória é o único resultado que me interessa, então vamos trabalhar desde já pela vitória. Hoje o Fábio teve azar, acabou rodando. Se tiver azar de novo em São Paulo, tudo é possível…”, sugere.


Pachenki largou em segundo para a corrida deste domingo em Brasília, pista onde comemorou na segunda etapa, em maio, sua única vitória no ano. “Meu carro era muito bom em curvas, mas deixava a desejar bastante nas retas. Eu até conseguia me aproximar do Rafael, mas quando caíamos numa reta ele abria dois carros de vantagem. Me aproximei muitas vezes, mas não cheguei a ter a chance real de tentar a ultrapassagem”, descreveu o paranaense.


O bom equilíbrio do carro número 8 da ALM Pachenki Motorsport pôde ser atestado a seis minutos da bandeirada final, quando Diogo estabeleceu a volta mais rápida da corrida – percorreu os 2.919 metros da pista em 1min03196, com média horária de 166,28 quilômetros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *