Endurance: Bardahl/ Chevrolet é tri-campeã brasileira

Com quatro títulos conquistados nos últimos três anos, equipe é a maior vencedora no Brasileiro de Endurance.

As Mil Milhas Brasil, maior prova de resistência da América Latina, voltou ao cenário do Campeonato Brasileiro de Endurance. E foi exatamente nesta corrida que a equipe Bardahl/Chevrolet Endurance Team sagrou-se campeã da categoria IV, destinada a veículos turismo (derivados de carros originais de produção). E com chave de ouro. O quarteto de pilotos, Carlos Eduardo Prado, Fernando Rebellato, Samuel Russell e Ricardo Dilser faturou o primeiro lugar nas Mil Milhas Brasil, após uma longa disputa com o VW Gol da equipe paranaense Poliservice. O vencedor na geral, após onze horas de corrida, foi o Porsche 911 GT3 RSR do trio Raul Boesel, Max Wilson e Marcel Visconde.


A dupla de pilotos Carlos Prado e Ricardo Dilser, chegaram a última etapa do Brasileiro de Endurance com oito pontos de vantagem. “Foi um ano muito disputado. As equipes rivais evoluíram muito em organização e seus carros estavam bem mais rápidos e confiáveis do que em 2007, quando também fomos campeões. Mas a vantagem na pontuação nos garantiu maior tranquilidade nas decisões e faturamos mais uma vez, agora com o brilho de termos vencido as Mil Milhas Brasil”, avisa Prado, parceiro de Dilser no comando do Chevrolet Corsa 51. Para as Mil Milhas Brasil, a dupla Prado/Dilser convidou os pilotos do Chevrolet Vectra 52, Fernando Rebellato e Samuel Russell para dividir as onze horas de pilotagem que exigem as Mil Milhas Brasil.


Exatamente pela peculiaridade das Mil Milhas Brasil (é a maior prova de resistência do Brasil), o regulamento do Campeonato Brasileiro de Endurance “dividiu” a corrida entre as três primeiras horas e o restante. As três primeiras horas das Mil Milhas Brasil seriam válidas para o Brasileiro de Endurance, enquanto o restante (e somado às primeiras horas), valeriam para a Mil Milhas Brasil, um título a parte. “O complicado é que teríamos de fazer um carro rápido para as três primeiras horas, pois estávamos disputando o campeonato de endurance e resistente o suficiente para suportar o restante das Mil Milhas, um título que ainda não tínhamos conquistado.”, sinalizou Luiz Moncaio, chefe de equipe. “Com três horas de corrida, recebi a mensagem do box, me parabenizando via rádio, avisando que já éramos campeões brasileiros de endurance. Fiquei feliz, mas voltei a concentração na pilotagem, porque nos faltava ainda a vitória nas Mil Milhas.”, disse Ricardo Dilser, piloto que estava ao comando do Corsa naquele momento.


Antes disso, a equipe passou pelo maior susto da prova. Com pouco mais de uma hora de corrida, a roda dianteira direita se solta por completo, após a ruptura dos “prisioneiros” de fixação. “No carro de corrida, substituímos os parafusos originais da roda por outros do tipo prisioneiros para facilitar a troca das rodas. Este conjunto estava na segunda temporada e, por fadiga, se rompeu”, explica o chefe de equipe. O Chevrolet Corsa 51, mesmo com três rodas, chega rodando nos boxes. Com a substituição do conjunto e um realinhamento da suspensão dianteira, o Corsa perde a liderança e fica nove voltas atrás do líder. Volta à pista em um ritmo muito mais forte (e fora do previsto, virando entre cinco e seis segundos mais rápido que o líder) e vai recuperando caminho. Com três horas de corrida, as previstas para a pontuação do Brasileiro de Endurance, o time Bardahl/Chevrolet já ocupa a segunda posição e sagra-se campeã de 2008. “Foi inacreditável a rapidez no reparo do carro. Em pouco mais de dez minutos, substituíram todo conjunto de cubo de roda e prisioneiros e alinharam a suspensão. Era a motivação que precisávamos em uma corrida de onze horas de duração”, disse o piloto Fernando Rebellato. A vantagem na pontuação para a conquista do campeonato exigia apenas um terceiro lugar do time mas, mesmo com a parada imprevista para manutenção da roda, o Corsa 51 ocupava a segunda posição na prova, garantindo o campeonato.


A primeira metade da corrida, já com o título de campeão brasileiro conquistado, guardou mais uma surpresa. Surpresa para todos os participantes. Uma torrencial chuva desabou sobre o autódromo José Carlos Pace, em Interlagos, SP. Era a vez da pilotagem do convidado Samuel Russell. Pneus de chuva, muita prudência e pouquíssima visibilidade marcaram a quarta hora de prova. “Não enxergava quase nada e a dirigibilidade ficava muito comprometida. Como nunca havia pilotado em condições tão ruins, diminuí o ritmo para entregar o carro inteiro para meus parceiros.” disse Russell ao descer do carro.  Com a pista secando, os competidores voltam a acelerar tudo de novo. Com o campeonato já garantido, faltava apenas a vitória na prova. “Usamos uma estratégia pouco diferente nas Mil Milhas. Revisamos o consumo do motor, que ficou mais econômico através de uma nova calibração de injeção e utilizamos compostos de pastilha de freio mais duras, desenvolvidas pela EBC Brakes. Tudo para manter o carro na pista o maior tempo possível.”, revelou Marcelo Oliveira, engenheiro da General Motors. E deu certo o resultado. Com pouco mais de nove horas de prova, o Corsa 51, campeão de 2008, assume a liderança da Mil Milhas Brasil categoria IV e segue assim até o final da prova, após onze horas de competição.


Em três anos de competição, o time Bardahl/Chevrolet Endurance Team obteve quatro títulos nas duas categorias destinadas a carros turismo. Em 2006, a bordo de um Chevrolet Montana, a dupla Carlos Prado, Ricardo Dilser sagra-se campeã na categoria II (carros turismo acima de 2.0 litros). No ano seguinte, em 2007, o time faz seus dois carros campeões, com Fernando Rebellato e Carlos Prado (a bordo de um Chevrolet Vectra) campeões na categoria II e Ricardo Dilser, Sérgio Gotti, campeões na categoria IV (carros turismo abaixo de 2.0 litros). Agora em 2008, a dupla Carlos Prado e Ricardo Dilser, com o mesmo Corsa do ano passado, é campeã brasileira de endurance na categoria IV. Para 2009, o time prepara mais dois novos modelos. O primeiro deles será apresentado no Grande Prêmio São Paulo, no próximo 25 de janeiro, primeira etapa do Brasileiro de Endurance.


 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *