F1: Agente de Kimi garante Button na McLaren e diz: 2010 é no rali

Os problemas que separaram Kimi Raikkonen e McLaren de um acordo para a próxima temporada da Fórmula 1 foram realmente financeiros.

Sem receber a proposta que queria, o finlandês perdeu a disputa pela vaga para Jenson Button, segundo adiantou o empresário do ex-ferrarista, e agora buscará uma equipe no Campeonato Mundial de Rali (WRC).

Na noite desta terça-feira, um dos empresários de Raikkonen, Steve Robertson, já havia revelado ao jornal finlandês Turun Sanomat que seu cliente não competirá na Fórmula 1 em 2010. Nesta quarta, em entrevista à rede britânica BBC, o outro agente do finlandês, David Robertson, acabou explicando melhor a polêmica opção tomada.

“Eles não puderam satisfazê-lo. Não era interessante correr pelo que estavam oferecendo”, confirmou David. Segundo a revista alemã Auto Motor und Sport, a McLaren propôs um salário de 5 milhões de euros (R$ 12,7 mi) para contar com o retorno do piloto. Nesse contexto, ele ganhará mais dando uma pausa em suas atividades na categoria: só a Ferrari lhe deverá pagar 17 milhões de euros (R$ 43 mi) ainda como reflexo da rescisão de contrato antecipada.

Curiosamente, de acordo com a imprensa inglesa a equipe de Woking está oferecendo uma quantia maior – de ao menos € 6,8 mi (R$ 11,6 mi) – a Button, cuja contratação será anunciada ainda nesta quarta, segundo a BBC. Comentando o assunto, o próprio David Robertson deu a transferência como certa. “Se eles não tivessem apostado em Jenson, teriam ido atrás de outra pessoa”, comentou, negando que a negociação com o inglês tenha atrapalhado aquela com Raikkonen.

Também por causa da bolada que tem a receber da Ferrari agora que não competirá em uma das rivais dos italianos, o finlandês se mostrou muito tranquilo com a decisão. “Ele é um desses caras que supera as coisas rapidamente – apenas disse: ‘agora vamos nos concentrar no rali'”, informou o empresário.

No Mundial de Rali, Raikkonen disputou pela primeira vez uma prova em agosto passado exatamente na prova da Finlândia, como convidado. Para o próximo ano, ele agora passa a estudar propostas de algum time, embora já projete um retorno à Fórmula 1 visando a 2011. “Ele quer voltar à F-1, mas com todo o dinheiro que ganhou não iria para um time médio. Vale o mesmo critério – só aceita correr se sentir ter uma chance de ganhar o Mundial”.

Fonte:  Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *