F1: “Agradecida” a Brawn, Honda nega arrependimento por saída

A empreitada mais recente da Honda na Fórmula 1 durou de 2006 a 2008 e rendeu apenas quatro pódios e uma vitória no total. Nesta temporada, os japoneses poderiam brigar pelo título caso tivessem se mantido ao lado de Ross Brawn, mas o presidente da montadora, Takanobu Ito, garante não haver arrependimento por ter encerrado seu projeto esportivo.

Em dezembro do ano passado, a Honda surpreendeu ao anunciar que, por causa da crise econômica internacional, deixaria de investir na Fórmula 1, embora tivesse voltado seu planejamento para o carro de 2009 ainda no meio da temporada passada. Todo esse trabalho realizado em Brackley, ao final, acabou dando muitos resultados à Brawn GP, novo time formado na fábrica inglesa que tem grandes chances de faturar tanto o Mundial de Pilotos quanto o de Construtores.

Apesar de tudo isso, a companhia segue crente de que a opção tomada foi a melhor possível, por causa dos altos gastos que vinham tendo com a categoria, conforme apontou seu presidente, Takanobu Ito, à agência Kyodo News. “A indústria automobilística ainda está com muito medo, e nós continuamos pisando sobre gelo fino”, justificou-se.

De qualquer forma, o mandatário da gigante japonesa, que atualmente não brilha também na MotoGP, em que é apenas a terceira melhor escuderia do ano, mostrou-se “agradecido” pelos esforços de Ross Brawn para manter centenas de trabalhadores em atividade na fábrica de Brackley.

Possível retorno?: Enquanto tenta contornar a crise na venda de veículos e nega ter se arrependido, Takanobu Ito não descarta uma eventual volta da Honda à Fórmula 1 no futuro. “Aprendemos como é duro administrar um time e precisamos utilizar essa lição na próxima vez que fizermos isso, caso retornemos algum dia”, adiantou ele, admitindo que a montadora é muito ligada aos esportes – já havia participado da categoria rainha entre 1964 e 1968 e fora fornecedora de motores de 1983 a 2005.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *