F1: Análise técnica de Suzuka, por Luiz Razia

Um dos circuitos mais seletivos e adorados do calendário da categoria é palco da próxima corrida da temporada, neste fim de semana

A Fórmula 1 parte neste fim de semana para o circuito mais querido de todo o calendário, na opinião de pilotos, equipes, jornalistas e outros envolvidos no chamado “circo”. O GP do Japão, em Suzuka, apresenta uma atmosfera única, por conta dos apaixonados fãs locais, que tomam todas as dependências do circuito uma vez por ano desde 1987.

A pista japonesa pode ser considerada, também, um celeiro de campeões: dez títulos mundiais foram sacramentados no local. Nelson Piquet (1987), Ayrton Senna (1988, 1990 e 1991), Alain Prost (1989), Damon Hill (1996), Mika Hakkinen (1998 e 1999) e Michael Schumacher (2000) saíram de Suzuka coroados.

O Brasil também tem uma relação bastante próxima com o Japão. Por ter conquistado seus três títulos no país, Ayrton Senna é cultuado até hoje pelos fãs. Neste ano, outro piloto deve escrever seu nome na lista de campeões definidos em Suzuka: Sebastian Vettel, que precisa apenas de um ponto para assegurar o bicampeonato por antecipação.

A pista, por sua vez, é uma das mais seletivas, exigentes e peculiares do calendário: em um formato parecido com o número oito, ela possui uma ponte ligando as duas partes, além de curvas espetaculares, como a veloz 130R, feita em altíssima velocidade.

Confira uma análise técnica completa de Suzuka feita por Luiz Razia, terceiro piloto do Team Lotus, por meio do texto abaixo ou por um vídeo de livre divulgação que pode ser visto clicando no seguinte link: http://www.youtube.com/watch?v=mUIXyRoK7cc.

Características de Suzuka
“O circuito é muito veloz e digno de campeões como o Vettel, que provavelmente confirmará o título neste fim de semana. A curva 130R é espetacular, muito rápida e feita com o pé embaixo para os carros realmente bons. A sequência de curvas no primeiro setor é muito técnica e difícil de interpretar. Uns dos pontos legais do circuito é a ponte e o túnel, pois este é o único circuito no mundo que se cruza.”

Aerodinâmica
“É muito importante a parte aerodinâmica aqui no Japão. Para os parâmetros do circuito, um carro que tem mais downforce é sinônimo de tempo em curvas. Para as equipes, nem é preciso se preocupar bastante com o arrasto, pois os pilotos passam muito mais tempo em curvas do que em retas.”

Motor
“Este é um dos GPs onde as equipes gastam seus melhores motores, assim como Monza, onde quase todos vão com propulsores novos. É capaz, também, que algumas equipes tenham reservado bons motores para usar aqui.”

Pneus e Estratégia
“Com a alta velocidade nas curvas, acredito que o composto mole nao deve durar tanto. Por isso, aposto em três paradas no mínimo.”

Freios
Os freios não são um problema em Suzuka. O principal aqui é o ajuste dianteiro e traseiro para que o carro mantenha-se com o equilíbrio certo ao entrar nas curvas da maneira correta.”

Kers/DRS
“O Kers vai ser importante na largada, mas não acredito que dê muito ganho de tempo na pista; já o DRS será um grande fator e provavelmente veremos muitas ultrapassagens nessa corrida.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *