F1: Apoio da torcida emociona Bruno Senna no GP do Brasil

Estreante em Interlagos completa prova e elogia ritmo do carro da HRT F1 Team

Foi um domingo de fortes emoções para Bruno Senna em seu primeiro Grande Prêmio do Brasil. Além de levar um carro de reconhecidas limitações à bandeirada quadriculada na 21ª colocação, o piloto da HRT F1 Team ficou comovido com o apoio recebido do público que lotou as arquibancadas centrais de Interlagos antes da largada. “Fiquei surpreso com o incentivo dos torcedores, que cantavam olé-olê-olê-olá, Senna, Senna. Foi de arrepiar”, afirmou.

Bruno partiu da última posição do grid, conseqüência da decisão da equipe de mantê-lo com um único jogo de pneus intermediários de chuva durante toda a primeira parte dos treinos classificatórios de sábado. Nos minutos finais, à medida que a pista secava e se tornava mais rápida, Bruno não conseguiu melhorar seu tempo por causa do desgaste dos pneus. Neste domingo, no entanto, o F110 mostrou um ritmo até surpreendente para um modelo sem atualizações desde a abertura da temporada no Bahrein em março.

Sem cometer erros e tirando o que podia do carro, Bruno não escondeu o contentamento com o próprio desempenho. “Acho que fiz uma boa corrida. O balanço do carro estava mais do que razoável e o resultado talvez não tenha refletido o meu trabalho”, analisou. Bruno largou com os pneus macios e disse que sua decisão de pedir ao engenheiro que conservasse a mesma pressão com a versão mais dura no único pit stop foi fundamental para o bom ritmo que o manteve à frente da Virgin de Lucas di Grassi e logo atrás do companheiro de equipe do brasileiro, o alemão Timo Glock.

Bruno concordou que, em termos de consistência, o GP do Brasil se transformou num dos pontos altos de seu ano de estreia na Fórmula 1. “Foi parecido com o GP da Hungria, onde consegui fazer uma prova agressiva. Aqui, a gente tinha dúvida sobre o comportamento dos pneus, mas acertamos na calibragem. Só nas últimas voltas, quando o safety car entrou na pista por causa do acidente com o Liuzzi, é que ela subiu e o carro piorou. De qualquer forma, completar a corrida já foi um bom resultado”, concluiu Bruno, que viajaria ainda na madrugada desta segunda-feira para Abu Dhabi, onde o campeonato será encerrado no fim de semana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *