F1: Após GP de Sepang, Hamilton procurou diretor para se desculpar

Apesar da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) ter encerrado o assunto e punido o inglês Lewis Hamilton por mentir na abertura da temporada na Austrália, o caso ainda repercute no mundo do automobilismo. Nesta sexta-feira, o diretor de prova dos GPs da Fórmula 1, Charlie Whiting, confessou que o atual campeão mundial o procurou após a corrida da Malásia para se desculpar pelo ocorrido em Melbourne.

Há 12 anos em um dos cargos mais importantes da categoria, Whiting afirmou que o britânico o procurou após a prova para conversar em particular.

“O fato de ele me procurar agradou-me muito. Hamilton disse que queria conversar em particular, afirmando que queria se desculpar por tudo que fez e disse que não faria isso novamente”, revelou o diretor ao site inglês especializado em automobilismo Autosport.

Na conversa com o campeão mundial, Whiting entrou em detalhes sobre a ultrapassagem do piloto da McLaren sobre o italiano Jarno Trulli com a presença do safety car, o que rendeu a exclusão dos pontos do inglês no GP da Austrália.

“Lembrei da pergunta que fiz duas vezes a ele (Lewis Hamilton) em Melbourne, ‘Você o deixou passar conscientemente?’, ele me disse que não, (Jarno) Trulli tinha acabado de o ultrapassar. Então disse quando o time te pediu para o deixar passar, você disse ‘já o deixei passar’. Eu disse a Hamilton, que se ele tivesse ficado surpreso ele teria dito ‘ele me passou’ e não ‘já o deixei passar’. Lewis não teve resposta para isso. Ele e a equipe estavam tentando distrair os comissários para outro assunto. Esta é a minha impressão”, completou o dirigente da categoria máxima do automobilismo.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *