F1: Brasileiro é escolhido para o programa de jovens talentos da Renault pelo terceiro ano consecutivo

O brasileiro Lucas Di Grassi, que disputará o Campeonato da GP2 neste ano, foi confirmado para a terceira temporada consecutiva como piloto integrante do programa Renault Driver Development — iniciativa da Renault F1 Team que visa dar apoio à carreira de jovens com potencial de chegar à categoria máxima do automobilismo.

Nas últimas quatro temporadas, o programa de desenvolvimento e apoio a jovens talentos do automobilismo internacional patrocinado pela Renault descobriu e ajudou futuros astros do esporte a galgar patamares mais altos em suas carreiras. O finlandês Heikki Kovalainen, por exemplo, passou quatro anos no programa antes de se tornar, em 2006, o piloto de testes oficial da equipe campeã do mundo.

Para 2006, o programa Renault Driver Development (RDD) contará com quatro jovens talentos que passarão por um treinamento rigoroso no automobilismo de alto nível. Eles representarão a marca francesa nos torneios GP2, World Series by Renault e o Campeonato Europeu de Fórmula 3. Dois dos integrantes da temporada 2006 do RDD já são veteranos: o brasileiro Lucas Di Grassi, que ingressa no terceiro ano sob a tutela do programa, e o argentino José Maria Lopes, na quarta temporada.

O brasileiro venceu de forma brilhante o famoso e disputadíssimo Grande Prêmio de Macau de 2005, uma conquista que o Brasil não alcançava há duas décadas. Já os novatos de 2006 são o francês Romain Grosjean e o britânico Ben Hanley.

Veja a seguir quem são os quatro pupilos da equipe campeã mundial de F1:
• Lucas DiGrassi
, brasileiro, 21 anos
Em 2005, Lucas terminou o Campeonato Europeu de Fórmula 3 no terceiro lugar, e também venceu o prestigioso Grande Prêmio de Macau, em novembro. Escolhido como o melhor piloto sul-americano com menos de 21 anos de idade por um painel de jornalistas especializados, ele irá competir na GP2 pela equipe Durango.

“A Renault me deu oportunidade de disputar campeonatos extremamente competitivos nos últimos dois anos, assim como me ajudou a trabalhar duro em meu treinamento”, conta Lucas. “Graças ao programa RDD eu aprendi o que é ser um piloto de corridas realmente profissional. Para minha primeira temporada na GP2, meu objetivo é mostrar que sou um dos melhores pilotos do grid.”

• José Maria Lopez, argentino, 22 anos
Mais antigo membro do programa, José Maria entra em sua quarta temporada no RDD. Após uma difícil primeira temporada na GP2 em 2005 – categoria imediatamente anterior à Fórmula 1 –, quando terminou em nono no torneio com uma vitória e dois segundos lugares, ele novamente competirá pela equipe SuperNova.

“O RDD me deu uma nova chance de mostrar do que sou capaz”, explicou Lopez. “Eu sei que é uma grande oportunidade, e uma prova de que os gestores do programa acreditam em mim. Aprendi muito no ano passado na GP2, e acredito que posso brigar pelo título em 2006.”

• Romain Grosjean, francês, 19 anos
Um novo nome para 2006, o jovem francês dominou o Campeonato de Fórmula Renault 2.0 de seu país, em 2005 com dez pole positions e o mesmo número de vitórias em 16 corridas. Largando no difícil GP de Macau – sua estréia na Fórmula 3 – do 20º lugar, Romain terminou em nono após conquistar 11 posições. Na nova temporada, ele competirá no Campeonato Europeu de Fórmula 3 pela equipe Signature.

“Eu estou muito feliz por estar no programa RDD, que me ensinará sobre a rotina de um piloto de corridas profissional. É um grande privilégio me desenvolver já sendo um piloto Renault, e algo do qual me orgulho muito. Eu sei que tenho muita sorte de estar neste programa”, comentou Romain. “Em Macau, tive minha primeira experiência com um F-3 e me saí bem. Espero ser capaz de lutar logo por posições na dianteira do grid nesta temporada.”

• Ben Hanley, britânico, 21 anos
Ben terminou o Campeonato Italiano de Fórmula Renault 2.0 em 2005 na vice-liderança, com nove pódios e seis vitórias após dominar a segunda metade da temporada. Foi a primeira temporada do jovem britânico com automóveis – antes, havia corrido apenas com karts. Ele irá defender a equipe CRAM na categoria World Series by Renault.

“Ser escolhido para integrar o RDD é uma ótima oportunidade para mim. Eu sei que o programa será de grande ajuda para que eu alcance meu objetivo de me tornar um piloto profissional”, disse Hanley. “Eu vou me dedicar 100% para mostrar que tenho o que é necessário para ser um piloto Renault. Meus primeiros testes com o carro da World Series neste inverno (europeu) me convenceram que posso me adaptar a esta categoria muito rapidamente.”

Sobre o programa Renault Driver Development

Criado em 2002 pela Renault F1 Team, o programa RDD tem como objetivo apoiar os mais promissores jovens talentos do esporte. Um programa rigoroso e exigente, o RDD permite que os pilotos se desenvolvam por um ano no ambiente da Renault F1 Team. Eles são colocados no campeonato mais apropriado para o estágio de suas carreiras, enquanto passam por um treinamento físico e esportivo rigoroso. Os pilotos são considerados embaixadores da Renault, e avaliados tanto em seu desempenho na pista quanto também fora dela. O RDD é reconhecido internacionalmente como um programa seletivo, prestigioso e eficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *