F1: Bruno Senna critica fiscais de pista de Cingapura

“Demoraram uma hora para agitar a bandeira amarela”, reclama brasileiro da HRT F1 Team

Bruno Senna colocou na conta dos fiscais de pista a causa do acidente que provocou seu abandono no meio do GP de Cingapura. O piloto da HRT F1 encontrou o japonês Kamui Kobayashi atravessado num ponto cego do circuito depois de um toque contra o muro e não conseguiu evitar a batida na traseira da Sauber. “Os comissários demoraram uma hora para agitar a bandeira amarela. Quando mostraram, eu já estava freando e não pude fazer mais nada”, criticou.

Foi o epílogo de um domingo mais do que complicado para o estreante brasileiro. “Não tivemos nenhuma chance aqui. Nosso ritmo nem de longe permitiu acompanhar as outras equipes pequenas. Os pneus estavam destruindo por causa das características do asfalto, que faz os carros deslizar demais. Com isso, os pneus superaquecem e a aderência fica crítica”, explicou Bruno, que procurou deixar o cockpit rapidamente por causa da posição perigosa dos carros envolvidos no choque.

Bruno partiu da última fila ao lado da Ferrari de Felipe Massa. Como já contava com o elevado consumo de pneus, procurou fazer uma prova conservadora. “Economizei o que pude e no meio da prova já estava me aproximando do meu companheiro de equipe. Infelizmente, de repente peguei o Kamui naquele ponto sem qualquer sinalização prévia.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *