F1: Bruno Senna: “Deixei o cérebro na garagem e fui para cima”

Comissários mudam classificação e brasileiro larga em 9º no GP do Japão

Alegre com o desfecho dos treinos classificatórios e a 9ª colocação no grid do GP do Japão, Bruno Senna tinha uma explicação inusitada para seu excelente desempenho neste sábado em Suzuka. “Deixei o cérebro na garagem e fui para cima”, brincou o piloto da Lotus Renault GP, que correu o risco de nem participar das tomadas de tempo depois da batida forte na Curva da Colher no terceiro e último ensaio livre. Mesmo com o intervalo de apenas duas horas para realizar os reparos e trocar parte da dianteira esquerda e a suspensão direita do carro, os mecânicos trabalharam com rapidez e eficiência, permitindo que Bruno entrasse na pista ainda na metade do Q1. “Eles fizeram um serviço perfeito, ficou tudo no lugar e o volante não ficou torto”, elogiou.

Bruno admitiu que passou por momentos de tensão enquanto acompanhava a movimentação dos mecânicos em cima do seu carro. “Eu achava que daria tempo, mas foi no limite”, lembrou. Sobre o acidente, disse que o impacto foi forte. “Foi uma bela panca. Eu estava confiante com o DRS, mas quando abri a asa o carro deu uma traseirada. Mas, depois que o carro ficou pronto para o Q1, procurei nem pensar em mais nada. Sabia apenas que tinha de acertar a volta logo de cara.”

A Lotus Renault GP optou por não abrir volta no Q3, bem como o alemão Michael Schumacher, da Mercedes, e o japonês Kamui Kobayashi, da Sauber. Com isso, Bruno e seu companheiro, o russo Valery Petrov, poderão escolher a versão de compostos que desejarem para o início de corrida – a Pirelli levou as opções macia e média. “O desgaste está muito acentuado e poder sempre colocar pneus novos deverá nos favorecer”, observou Bruno, que estima em três o número de paradas que praticamente todos os pilotos deverão fazer.

Mesmo tendo perdido uma posição horas depois do qualifying, quando os comissários desportivos elevaram Kobayashi da 10ª para a 8ª colocação ao oferecer outra visão do regulamento, Bruno não escondeu a satisfação com o resultado. Apenas em sua quarta corrida na temporada e pela terceira vez partindo dentro do Top 10, Bruno terá à sua frente cinco campeões mundiais – entre eles o pole e virtual bicampeão Sebastian Vettel. “Depois de tudo o que aconteceu, o acidente, a perda de tempo de pista e o carro sendo consertado em cima da hora, foi ótimo. Estou satisfeitíssimo”, garantiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *