F1: Bruno Senna diz que será difícil chegar ao fim na Hungria

Com algo “muito grave” no carro, brasileiro espera domingo complicado em Hungaroring

Bruno Senna está pouco otimista quanto às possibilidades de completar o Grande Prêmio da Hungria. Depois das dificuldades encontradas com o acerto nos treinos livres da sexta-feira, o carro da HRTF1 Team voltou a revelar enorme desequilíbrio no sinuoso traçado de Hungaroring nas tomadas classificatórias deste sábado e nem de longe ameaçou as demais equipes estreantes da Fórmula 1 em 2010. Bruno fechou o Q1 com o tempo de 1min26s391 e partirá em 23º, à frente do companheiro de equipe Sakon Yamamoto.

Em 11 provas, foi a oitava vez que Bruno superou o parceiro. O bom retrospecto no duelo interno da escuderia espanhola, no entanto, parece insuficiente para animar o piloto brasileiro em relação às suas possibilidades na prova. “É tudo muito mais complicado quando as equipes mais próximas são dois segundos mais velozes. A verdade é que deve haver algo muito grave no carro, porque ele simplesmente não parava na pista”, relatou.

Bruno disse que a equipe vem experimentando diversas regulagens desde a abertura dos treinos, sem encontrar uma solução para o balanço insatisfatório. “Fuçamos muito no acerto e não deu certo. Pela manhã, ainda pude abrir vantagem de sete décimos sobre o Sakon. Mas na classificação piorou bastante e foi uma luta para conseguir uma vantagem mínima.”

A corrida será cumprida na distância de 70 voltas. Bruno promete fazer todo o esforço para levar o F110 até à bandeirada quadriculada, mas antecipa que não será fácil alcançar o objetivo. “Já sabíamos que as características de Hungaroring não são aquelas que melhor casam com o carro e seria improvável repetir o desempenho da semana passada em Hockenheim. Mas, pelo jeito, nossos problemas aqui estão sendo maiores do que imaginávamos.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *