F1: Bruno Senna lamenta parada extra em Hockenheim

Pneu furado encerra disputa do piloto da HRT F1 com equipes novatas

Dentro das possibilidades oferecidas pelo carro, Bruno Senna vinha fazendo uma boa corrida no Grande Prêmio da Alemanha. Mas o furo do pneu dianteiro direito, já na segunda metade da prova, obrigou-o a uma parada extra que o deixou distante da briga contra os rivais da Virgin e Lotus, equipes novatas como a sua HRT F1 Team. “O pneu veio esvaziando devagarinho e não teve jeito, tive de entrar nos boxes para a troca”, disse Bruno, que recebeu a bandeirada em 19º.

Beneficiado pela punição aplicada ao alemão Timo Glock, que perdeu posições por ter trocado o câmbio depois dos treinos classificatórios, Bruno saiu em 20º. Quando as luzes vermelhas se apagaram, Bruno acelerou forte e ultrapassou Heikki Kovalainen e Adrian Sutil. “O problema é que o Jarno Trulli parecia que estava dormindo na primeira curva. Fui obrigado a frear com tudo para evitar o choque e acabei perdendo tudo o que tinha ganhado”, explicou.

A partir daí, no entanto, Bruno aumentou o ritmo e ficou satisfeito com o rendimento do monoposto da equipe espanhola. “Meus tempos de volta estavam muito parecidos com os dos carros da Virgin e da Lotus. Foi pena que o pneu tenha furado mais tarde. Mas, levando tudo em conta, inclusive a excelente volta nos treinos classificatórios, acho que foi um dos finais de semana mais razoáveis desde o início do campeonato”, analisou.

Se as características da pista alemã já indicavam que o crônico problema de falta de pressão aerodinâmica do F110 não seria tão dramático em Hockenheim, Bruno não esconde a preocupação com a etapa do próximo domingo em Hungaroring, na Hungria. Travada e com curvas lentas, será um novo desafio para Bruno em seu ano de estréia na Fórmula 1. “Não será fácil para nós”, resumiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *