F1: Campeão na MotoGP, Rossi testa pela Ferrari

Dono de seis títulos mundiais da MotoGP, o piloto italiano Valentino Rossi testou pela Ferrari na pista particular da escuderia, em Mugello, nesta quinta-feira.

Na véspera de conquistar seu último título, ele manifestou o desejo de pilotar pela Ferrari se fosse campeão. Rossi usou o modelo F2008, o mesmo pilotado por Felipe Massa e Kimi Raikkonen durante a temporada.


O italiano usou um capacete com o mesmo desenho do que utiliza na MotoGP. O carro também recebeu o número 46, que o piloto sempre utiliza em suas motos, mesmo quando inicia uma temporada na condição de campeão.


No total, Rossi deu 28 voltas no circuito. De acordo com a imprensa local, o teste foi apenas uma recompensa pelo seu título e não existe possibilidade de o piloto trocar a MotoGP pela Fórmula 1.


Com bom relacionamento com a cúpula da Ferrari, Rossi já havia testado pela equipe. Em fevereiro de 2006, no circuito de Valência, ele teve um bom rendimento, mas preferiu seguir na MotoGP.


A pista da Ferrari é uma das preferidas de Valentino Rossi. O piloto italiano chegou na primeira colocação em sete das nove provas que disputou no circuito.


Cerca de dois anos e meio depois de testar em um F-1 pela primeira vez, Rossi girou na casa de 1min23s9, cerca de dois segundos mais lento na comparação com as melhores marcas que Felipe Massa já conseguiu no circuito.


No primeiro contato com o carro que não pilotava desde 2006 – época em que chegou a cogitar uma mudança da MotoGP para a Fórmula 1 – , Rossi não conseguiu atingir os tempos que esperava.


Em entrevista recente à publicação Motosprint, o hexacampeão do mundo havia lembrado que há três anos ficara a apenas 1s2 de Michael Schumacher, esperando desta vez diminuir a diferença para os pilotos regulares da Ferrari (Massa e Kimi Raikkonen) para menos de um segundo.


Vale lembrar ainda que o recorde do circuito é de Rubens Barrichello, que cravou 1min18s704 em 2004.


De qualquer forma, o italiano, que desta vez só utiliza os trabalhos em Mugello como diversão após ter triunfado mais uma vez no mundo das duas rodas, ainda tem espaço para melhorar – seguirá no autódromo, cujas arquibancadas estão abertas ao público pelo preço de 5 euros (cerca de R$ 15), na tarde desta quinta e por toda a sexta-feira.


Além dos torcedores locais, estão acompanhando o rendimento de Rossi seu chefe de equipe na Fiat Yamaha, Davide Brivio, seu pai, Graziano Rossi, e o diretor esportivo da Ferrari, Stefano Domenicali. Amigos próximos do piloto também estão no circuito de Toscana.


Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *