F1: Charlie Whiting falece aos 66 anos

Britânico, Diretor de Corridas da F-1 desde 1997, faleceu nesta quarta-feira (13/03), aos 66 anos, vítima de embolia pulmonar.  O anuncio foi feito pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) nesta quarta-feira (13/030, em Melbourne, na Austrália, sede da abertura da temporada. Os treinos para a prova começam na sexta-feira.

Whiting iniciou a carreira no automobilismo na equipe do irmão Nick, a Shellsport Whiting que disputava categorias regionais na Europa, no começo década de 1970. Nick foi assassinado em 1990.

Em 1977 ele passou a integrar a equipe Hesketh como mecânico. Whiting passou depois para a Brabham, sendo o chefe-de-mecânicos nos dois títulos do brasileiro Nelson Piquet (1981 e 1983).

Em 1988 assumiu o cargo de Delegado Técnico da FIA na F-1. Sendo desde 1997, o Diretor de Provas da F-1.

“Foi com imensa tristeza que tomei conhecimento da morte repentina de Charlie. Ele sempre foi um grande diretor de corridas. Uma figura central e inimitável na Fórmula 1, que personificava a ética e o espírito deste esporte”, disse Jean Todt, presidente da FIA.

“A Fórmula 1 perdeu um amigo leal e um embaixador carismático. Todos os meus sentimentos, da Fia e de toda a comunidade do automobilismo vão para a família [de Charlie], os amigos e amantes da Fórmula 1”, completou o francês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *