F1: Chateado, Bruno Senna espera corrida difícil no GP da Índia

Punição do parceiro deixa brasileiro em 14º no grid deste domingo

Bruno Senna não escondeu a decepção pelo desfecho dos treinos classificatórios do GP da Índia. Depois de fechar os ensaios livres da sexta-feira na 8ª colocação e manifestar confiança no potencial do carro da Lotus Renault GP para o qualifying, Bruno caiu na segunda parte ao estabelecer o 15º tempo da sessão – uma ducha de água fria para quem sonhava largar novamente entre os Top 10. “Estou chateado porque o potencial da véspera era para colocar o carro no Q3”, afirmou.

De certa forma, os resultados confirmaram a cautela revelada por Bruno ao analisar o comportamento das rivais diretas da Lotus Renault GP nos treinos do dia anterior, principalmente a Toro Rosso e a Force India. “Eu sabia que os tempos estavam muito próximos e qualquer probleminha poderia nos deixar fora do Q3”, lembrou. Além das mudanças das condições atmosféricas e da pista, que parecem ter favorecido as rivais, Bruno relatou uma dificuldade com a aerodinâmica na parte traseira do R31.

Com a punição aplicada ao companheiro de equipe Vitaly Petrov, que perderá cinco posições por causa da batida contra Michael Schumacher no GP da Coreia, Bruno sairá em 14º – o russo caiu de 11º para 16º. Mesmo estando a apenas duas filas de distância da zona de pontos, Bruno sabe que terá uma missão complicada pela frente no circuito internacional de Buddh. “É difícil fazer uma previsão, mas já está claro que é muito fácil errar nesta pista”, observou. Mesmo as avaliações dos pilotos depois dos contatos iniciais com o novo traçado no meio da semana estão sujeitas a confirmação. “Ultrapassar será mais complicado do que se imaginava”, concluiu Bruno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *