F1: Chefes do GP do Canadá desmentem Ecclestone

Os organizadores oficiais do Grande Prêmio do Canadá desmentiram as acusações de Bernie Ecclestone, principal chefe da Fórmula 1, que afirmou que o circuito foi retirado do calendário de 2009 porque eles quebraram o contrato com a entidade e não pagaram as devidas taxas dos últimos anos.

“É uma inverdade sugerir que nossa organização não honrou com os pagamentos dos últimos três anos”, afirmou Paul Wilson, vice-presidente de marketing do GP canadense, ao site da revista inglesa Autosport.


“É verdade que temos diferenças com nossas falhas monetárias, porém só em 2008. Este é um resultado da diferenças contratuais entre as duas partes”, minimizou Wilson.


O executivo ainda afirmou que todos os esforços estavam sendo feitos para colocar em dia os pagamentos a Ecclestone, e disse que a decisão de retirar Montreal do calendário foi “unilateral”.


“Estávamos trabalhando duro para resolver as pendências de 2008 com Ecclestone, quando, de repente, fomos surpreendidos por uma decisão unilateral de retirar o circuito do Canadá do calendário de 2009”, lamentou.


“Acreditamos que é importante clarear estas idéias e explicar alegações que possam prejudicar a reputação de nossa entidade. Não aceitamos que a integridade do GP do Canadá seja colocada em dúvida”, disse.


Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *