F1: Com 29 voltas completadas, Di Grassi elogia circuito

“Todo mundo gostou. Há um ou outro ponto a ser melhorado, mas no geral a pista foi um sucesso entre os pilotos”, disse o brasileiro

Os 5.621 metros receberam no final da noite desta quinta-feira (21) e madrugada de sexta (22) – horário de Brasília – pela primeira vez os carros da Fórmula 1. Com um asfalto ainda bastante sujo, reflexo da finalização das obras no circuito de Yeongam, na Coréia do Sul, pilotos e equipes iniciaram os preparativos para a 17ª e antepenúltima etapa do Campeonato Mundial de F1.

Lewis Hamilton, da McLaren, e Mark Webber, da Red Bull, lideraram as sessões 1 e 2, respectivamente. E para Lucas Di Grassi (Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schioppa), que participou apenas do segundo treino livre, completando 29 voltas – contra um total de 43 de seu companheiro de equipe Timo Glock -, a primeira impressão da pista é bastante positiva.

“Foi um dia tranqüilo, tudo correu bem. Mas a pista é difícil, e hoje esteve especialmente suja, com bastante sujeira fora do trilho. Mas é muito legal”, afirmou o brasileiro. “Ela é bastante técnica, com o segundo setor repleto de mudanças de direção, curvas de alta… Foi bem positivo”, disse.

Apesar das dificuldades de um circuito novo em folha, Lucas disse que a impressão geral no paddock é positiva. “Todo mundo gostou da pista. Tem uma parte ou outra que precisa melhorar, uma ou outra zebra, e a entrada dos boxes, que é um pouco perigosa. De qualquer forma, o traçado foi um sucesso entre todos os pilotos”, apontou.

Tendo participado apenas da segunda sessão, realizada durante a tarde no horário coreano, Lucas ainda não pôde experimentar as novas atualizações trazidas para o VR-01. O brasileiro também está usando um carro cerca de dez quilos mais pesado que o de seu companheiro de equipe.

“Hoje foi um dia dedicado mais para o reconhecimento, e com tanta sujeira na pista, não seria possível avaliarmos o real potencial do novo pacote. No entanto, o Jerôme (D’Ambrosio, que participa da primeira sessão com o carro do brasileiro) deu uma escapada no treino da manhã e danificou a asa dianteira, que tinha boa parte dos updates. A adaptação ao circuito foi bem rápida, mas acho que amanhã será ainda melhor, com a pista mais emborrachada”, explicou Di Grassi, lembrando que a maioria das equipes teve problemas de granulação nos pneus durante os treinos livres.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *