F1: Com grande início, Di Grassi termina mais uma corrida na F1

Piloto brasileiro ganhou sete posições nas primeiras voltas do Grande Prêmio do Canadá e chegou a figurar na décima posição

Lucas Di Grassi (Clear, Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schioppa) driblou todas as adversidades e concluiu pela quarta vez uma etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1. Na corrida realizada neste domingo (13), em Montreal, no Canadá – a oitava da temporada 2010 – o brasileiro fez um grande início de prova. Ganhou sete posições nas três primeiras voltas, chegou a ser o décimo colocado, e fez um grande trabalho a partir da segunda metade, quando o VR-01 passou a apresentar problemas hidráulicos.

Largar bem sempre foi uma das características de Lucas Di Grassi. Na GP2, categoria de acesso à categoria máxima do automobilismo, o atual piloto da equipe Virgin Racing de F1 era conhecido por inícios sensacionais em todas as corridas. Lucas soube desviar de um acidente na primeira curva e ultrapassou seu companheiro de time, o alemão Timo Glock, e o também o brasileiro Bruno Senna, da Hispania, logo na primeira volta. “O caro estava andando bem, apesar de estar difícil de guiar. Eu estava muito confiante e tirando o máximo do equipamento. Cheguei a ser o décimo, melhor posição que ocupei esse ano. Foi a primeira vez que andei em uma posição inserida na janela de pontuação. Essa primeira parte da corrida foi extremamente positiva e deixou a equipe muito confiante”, afirmou.

Na segunda metade da corrida, que teve um total de 70 voltas, Lucas Di Grassi teve que mostrar garra e habilidade para levar o carro até a bandeirada, na 19ª posição. “O carro apresentou um problema hidráulico. Precisei tirar o pé, diminuir bastante o ritmo para conseguir chegar até o final. Pode parecer uma coisa fácil de fazer, mas não é. Todo piloto está preparado para andar no limite e maneirar o ritmo em plena corrida exige muita concentração e autocontrole”, afirmou.

Lidar com dificuldades foi uma das marcas de Di Grassi no Canadá. O brasileiro, que fez neste fim de semana sua estreia no circuito de Montreal, precisou contornar adversidades desde os primeiros treinos livres. Na sexta-feira, o modelo VR-01 apresentou problemas de freio. No sábado, Lucas não conseguiu extrair o melhor do carro durante o treino classificatório devido ao excesso de tráfego enquanto tentava suas melhores voltas. E o carro também não mostrou grande adaptabilidade às características do traçado. “Realmente a pista não foi benéfica para o nosso carro, não se acertou muito bem. Mas tivemos vários pontos positivos na corrida. Eu consegui terminar a corrida, fiquei à frente do meu companheiro de equipe, atingi a janela de pontuação pela primeira vez e andamos muito perto da Lotus”, disse.

O brasileiro ficou satisfeito com sua performance. “Dentro das nossas possibilidades, acho que o trabalho foi bem feito. Estou muito feliz e essa corrida foi um teste que mostrou que eu estou adaptado à Fórmula 1 como um todo”, afirmou.

A próxima etapa do Campeonato Mundial de Fórmula 1 é o Grande Prêmio da Europa, que acontece no dia 27 de junho, em Valência, na Espanha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *