F1: Corte de custos da FIA salvou a Williams

Um dos últimos “garagistas” a ainda permanecer na Fórmula 1, Frank Williams afirmou que ele e sua equipe estiveram muito próximos de deixar a principal categoria do automobilismo mundial. De acordo com ele, a salvação foi o corte de custos imposto pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

“Com a grande pressão desta crise financeira, as conseqüentes mudanças nas regras para diminuir os custos são os nossos maiores benefícios”, comentou Frank ao jornal inglês Financial Times. “Isso nos permitiu ter um novo recomeço”, admitiu.

No ano passado, o time inglês perdeu alguns patrocínios, como o da Lenovo e o da brasileira Petrobras – a petrolífera iria para a Honda, mas com o encerramento das atividades da equipe japonesa deve deixar, ao menos por esse ano, a Fórmula 1.

Williams disse à publicação que não são recentes as dificuldades da escuderia. Porém, sente-se otimista quanto à recuperação das finanças. “Tivemos perdas nos últimos dois ou três anos, mas possuímos reservas para a equipe continuar correndo”, explicou. Segundo o jornal, essas perdas foram de 50 milhões de libras nos últimos anos.

Chefe financeiro da Fórmula 1, Bernie Ecclestone também deu sua força ao time liberando antecipadamente 14,5 milhões de libras relacionados com os pagamentos do novo Pacto da Concórdia.
 
Fonte: Gazeta Press

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *