F1: Daniel Ricciardo vence GP da Malásia

O australiano Daniel Ricciardo (Red Bull) venceu neste domingo (03/10) o GP da Malásia, no Circuito Internacional de Sepang, em Kuala Lumpur, 16ª etapa da temporada. Foi a primeira vitória de Ricciardo no ano, e quarta na categoria. O holandês Max Verstappen completou a dobradinha da Red Bull. Líder do campeonato o alemão Nico Rosberg (Mercedes) terminou em terceiro.

Na volta de apresentação, o Williams do brasileiro Felipe Massa teve problemas no acelerador. Com o piloto indo para os boxes, onde a equipe reparou o defeito. Mas com Massa caindo da décima, para a última posição do grid.

Na largada o pole-position, o britânico Lewis Hamilton (Mercedes) manteve a ponta. Enquanto atrás o líder da temporada Rosberg rodava, após levar um toque do compatriota Sebastian Vettel (Ferrari). O tetracampeão tentou uma manobra arriscada, para superar Verstappen, e acabou tocando na traseira do Mercedes #6,  que caiu para a 17ª posição.  Com a suspensão dianteira esquerda quebrada, Vettel abandonou, acionando o Safety-Car Virtual.  Após a prova, Vettel foi punido com a perda de três posições no grid para a próxima etapa, o GP do Japão.

Pouco depois do reinicio da prova, o Safety-Car Virtual foi novamente acionado. O francês Romain Grosjean (Haas) ficou sem freio e passou direto em uma curva. Parando na brita.

Vários pilotos foram para os boxes, para a primeira troca de pneus. Entre eles Verstappen e Rosberg.

Com a bandeira verde agitada, Hamilton abriu uma pequena vantagem sobre Ricciardo e Verstappen. Fazendo a sua primeira parada nos boxes na 21ª volta, colocando pneus duros. Deixando Ricciardo na ponta por uma volta.

Com a parada de Verstappen nos boxes pela segunda vez, na 28ª volta (colocando pneus duros), Hamilton retomou a liderança. Ricciardo era segundo, seguido por Verstappen, o finlandês Kimi Raikkonen e Rosberg, em sua corrida de recuperação.

Na 39ª volta Rosberg superou Raikkonen, pelo quarto lugar. Os dois carros chegaram a se tocar de leve. O que rendeu uma punição de dez segundos para o alemão.

Próximo da segunda parada nos boxes, e com uma boa vantagem, Hamilton foi surpreendido com o fogo no motor Mercedes na 41ª volta.

O piloto, que busca o seu quarto título, ficou muito irritado com a quebra, e cobrou uma explicação da Mercedes.

“Eu simplesmente não posso acreditar que, dentre oito carros com motores Mercedes, só o meu estoura desse jeito. Alguma coisa não parece estar certa”, disse Hamilton, que exigiu explicações públicas da montadora sobre os motivos que levaram à quebra do motor.

“Meu questionamento é para a Mercedes. Alguém precisa me dar uma resposta. É inaceitável. Alguém não quer que eu ganhe este ano, mas eu não vou desistir”, declarou Hamilton.

A Mercedes, através do diretor-técnico Paddy Lowe, respondeu ao britânico.

“Trabalhamos o mais duro para evitar problemas de confiabilidade. Havia oito Mercedes no grid e não há nada que indique o motivo de esses problemas caírem justo no carro do Lewis”, disse Lowe.

Ricciardo assumiu a liderança, seguido por Verstappen. Com o Saferty-Car Virtual acionado, a dupla da Red Bull foi para os boxes, trocar novamente os pneus.

O holandês ainda tentou uma pressão, sobre o parceiro de equipe nas voltas finais. Contudo sem chances reais de conseguir superar o australiano.

Ricciardo comemorou muito a vitória. A sua primeira desde o GP da Bélgica de 2004.

“É bem emocional. Ficamos dois anos sem vencer e chegamos muito perto neste ano. Há duas semanas, eu disse que venceríamos uma este ano, e conseguimos”, declarou. “Tudo foi incrível, para dizer o mínimo”, declarou o vencedor.

Rosberg terminou em terceiro. E ampliou a sua vantagem na tabela de pontos.

“Na primeira curva eu pensei que tudo tinha acabado, então fico muito feliz de lutar todo esse caminho de volta ao pódio. Em geral, queria um dia melhor, mas é desse jeito que funciona algumas vezes. É um bom momento e estamos ansiosos para a próxima corrida. Ataque total”, afirmou Rosberg, que também criticou Vettel. “Fui tocado por um tetracampeão mundial que estava fora de controle”, encerrou o alemão.

Raikkonen foi o quarto, seguido pelo compatriota Valtteri Bottas (Williams) e o mexicano Sergio Pérez (Force India).

O espanhol Fernando Alonso (McLaren), que alinhou em último devido a uma punição, terminou em sétimo. O alemão Nico Hulkenberg (Force India), o britânico Jnson Button (McLaren) completando 300 GPs na categoria, e o britânico Jolyon Palmer (Renault) fecharam os dez primeiros. Foi o primeiro ponto conquistado por Palmer na categoria.

Massa terminou na 13ª posição. O brasileiro Felipe Nasr (Sauber) abandonou na 46ª volta, com problemas de freios.

Rosberg lidera o campeonato com 288 pontos, seguido por Hamilton com 264 e Ricciardo com 204.

A próxima etapa acontece no dia 09 de outubro, em Suzuka, no Japão.

Final:

1 – Daniel Ricciardo (Red Bull RB12-Renault) – 56 voltas
2 – Max Verstappen (Red Bull RB12-Renault) – 2″443
3 – Nico Rosberg (Mercedes W07) – 25″516
4 – Kimi Raikkonen (Ferrari SF16-H) – 28″785
5 – Valtteri Bottas (Williams FW38-Mercedes) – 1’01″582
6 – Sergio Perez (Force India VJM09-Mercedes) – 1’03″794
7 – Fernando Alonso (McLaren MP4/31-Honda) – 1’05″205
8 – Nico Hulkenberg (Force India VJM09-Mercedes) – 1’14″062
9 – Jenson Button (McLaren MP4/31-Honda) – 1’21″816
10 – Jolyon Palmer (Renault RS16) – 1’35″466
11 – Carlos Sainz (Toro Rosso STR11-Ferrari) – 1’38″878
12 – Marcus Ericsson (Sauber C35-Ferrari) – 1 volta
13 – Felipe Massa (Williams FW38-Mercedes) – 1 volta
14 – Daniil Kvyat (Toro Rosso STR11-Ferrari) – 1 volta
15 – Pascal Wehrlein (Manor MRT05-Mercedes) – 1 volta
16 – Esteban Ocon (Manor MRT05-Mercedes) – 1 volta

Volta mais rápida: Nico Rosberg 1’36″424

Abandonos:

Felipe Nasr (Sauber C35-Ferrari) – 46 voltas
Lewis Hamilton (Mercedes W07) – 40
Esteban Gutierrez (Haas VF16-Ferrari) – 39
Kevin Magnussen (Renault RS16) – 17
Romain Grosjean (Haas VF16-Ferrari) – 7
Sebastian Vettel (Ferrari SF16-H) – 0

Campeonato, pilotos:

1.Rosberg 288; 2.Hamilton 265; 3.Ricciardo 204; 4.Raikkonen 160; 5.Vettel 153; 6.Verstappen 147; 7.Bottas 80; 8.Perez 74; 9.Hulkenberg 50; 10.Alonso 42; 11.Massa 41; 12.Sainz 30; 13.Grosjean 28; 14.Kvyat 25; 15.Button 19; 16.Magnussen 7; 17.Palmer, Wehrlein, Vandoorne 1.

Campeonato, construtores:

1.Mercedes 553; 2.Red Bull-Renault 359; 3.Ferrari 313; 4.Force India-Mercedes 124; 5.Williams-Mercedes 121; 6.McLaren-Honda 62; 7.Toro Rosso-Ferrari 47; 8.Haas-Ferrari 28; 9.Renault 8; 10.Manor 1.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *