F1: Di Grassi adquire ações da Addax Team

Lucas adquiriu parte da operação de GP3 do time que ele próprio defendeu na GP2 em 2008

Com atividades em duas das principais categorias de acesso à Fórmula 1 a equipe Addax anunciou nesta quinta-feira (26/8) a assinatura de um contrato com o piloto brasileiro de Fórmula 1 Lucas Di Grassi. Com o acordo, o brasileiro passa a ser um dos acionistas do time que opera na GP3, categoria que estreou este ano e que faz preliminares das corridas européias da F1.

Lucas, que compete na Fórmula 1 pela equipe Virgin com patrocínio de Clear/Sorocred/Locaweb/Eurobike/Schioppa, foi piloto da Addax em 2008 na GP2 – torneio que é a principal porta de acesso à F1. Di Grassi impressionou o meio automobilístico ao terminar a temporada como terceiro colocado com duas vitórias, mesmo não tendo disputado as seis primeiras corridas do campeonato. O brasileiro foi ainda o grande responsável pela evolução do time na conquista do título de equipes daquele ano e pela consolidação da Addax como grande time da GP2.

“Estamos encantados a dar as boas vindas a Lucas, um piloto que competiu conosco na GP2 e sempre se manteve em contato com a equipe, o que tornou tudo mais fácil para que ele fizesse parte deste projeto que tem grande futuro”, afirmou Alejandro Agag, proprietário da equipe. “Lucas é um piloto jovem já consolidado na elite mundial da Fórmula 1 e estamos convencidos de que, com sua seriedade e tremendo profissionalismo, ele trará uma importante contribuição para o sucesso que esperamos alcançar a um curto prazo. Mais do que um parceiro, ele é um valioso reforço para o time”, disse Agag.

Mesmo em sua temporada de estréia pela também novata equipe Virgin Racing, Lucas é conhecido na Fórmula 1 por seu profissionalismo e conhecimento técnico, adquirido desde os tempos em que atuou como piloto reserva e piloto oficial de testes da Renault, contribuindo para o avanço da equipe.

“Eu gostaria de agradecer ao Alejandro Agag por esta oportunidade de fazer parte deste time que eu já conheço tão bem, o que torna mais fácil apoiar este projeto. Fui muito feliz na Addax e alcancei objetivos importantes com eles em 2008”, disse o brasileiro, que neste final de semana disputa o GP da Bélgica de Fórmula 1.

“Agora estou de volta para oferecer meus serviços na área esportiva. Estou ansioso por trabalhar em um projeto que é uma plataforma genuína para jovens pilotos e vou tentar ajudá-los na preparação técnica e tática, passando informações sobre os circuitos, estratégias de corrida, etc.. A idéia é ajudar estes jovens talentos a progredir, pois eles são o futuro do automobilismo. Acredito que a GP3 é o futuro das categorias de base já que dá acesso à GP2 e deverá se fortalecer a cada ano que passa”, afirmou.

Os atuais pilotos da Addax na GP3 são o italiano Mirko Bortolotti, o mexicano Pablo Sánchez López e o brasileiro Felipe Guimarães.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *