F1: Diretor da Michelin admite intenção de voltar à Fórmula 1

Os imbróglios envolvendo a Pirelli colocaram sua permanência na Fórmula 1 em risco. Nos últimos meses, porém, a fornecedora italiana agradou equipes e dirigentes ao atender aos pedidos solicitados e resolver os problemas em seus pneus. Nem mesmo isso, no entanto, diminuiu o interesse da Michelin em retornar à categoria.

Nesta segunda-feira, o diretor da divisão de competições da Michelin, Pascal Couasnon, confirmou os rumores e revelou o interesse de voltar a produzir pneus para a F-1. A empresa francesa deixou o Mundial há sete anos.

“Nossa posição agora é conhecida. Se eles estiverem dispostos a conversar, nós estamos prontos para isso”, revelou o dirigente ao jornal Le Figaro. A negociação, no entanto, teria que acontecer o mais rápido possível. “Haverá um momento onde isso não será mais possível, já que precisaríamos de tempo para produzir os pneus. Até o final de outubro, pode ser tarde demais”, analisa.

Para retornarem à F-1, no entanto, os franceses teriam algumas exigências no contrato. A fim de acabar com o alto desgaste visto nos compostos das últimas temporadas, a empresa francesa pretende alterar a dimensão dos aros dos pneus de 13 para 18 polegadas. “Não gosto nada de como a Fórmula 1 é apresentada hoje. Isso me decepciona e até mesmo me irrita”, reclama Couasnon.

Supostamente apoiada pelo presidente da FIA, Jean Todt, a Michelin teria ainda outro entrave na negociação para seu possível retorno. No último sábado, a Pirelli afirmou que já tem contrato assinado com dez dos 11 times do Mundial e está próxima de acordo com Bernie Ecclestone, descartando concorrência para 2014.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *