F1: Diretor da Pirelli justifica escolha de pneus para o GP da Áustria

Assim como em Mônaco e no Canadá, nas últimas duas corridas da temporada, a Pirelli optou pelos compostos macios (amarelos) e supermacios (vemelhos) para o Grande Prêmio da Áustria no próximo fim de semana. Como justificou Paul Hembery, diretor da marca, o circuito apresenta exigências “relativamente baixas” para os pneus, com duas retas e curvas bastante lentas, mas as estratégias a serem adotadas pelas equipes dependem das condições climáticas em Spielberg.

“Até certo ponto, a estratégia de pneus dependerá do tempo. Se fizer calor, o mais provável será que vejamos duas paradas, enquanto se fizer frio, o saldo poderia optar por poderia por uma parada”, avaliou Hembery, lembrando da possibilidade de precipitação. “A chuva também é uma clara possibilidade no local nesta época do ano, como vimos durante os treinos livres no ano passado, assim que basicamente as equipes teriam que estar preparadas para tudo”, acrescentou.

A pista de Red Bull Ring é conhecida pela pouca aderência e pelo solo pouco abrasivo, e a pista vai ficando mais rápida ao longo do fim de semana. Apesar do asfalto novo, o circuito está bastante acidentado em alguns lugares. Os pneus supermacios dão ao carro melhor aderência por se “prenderem” melhor ao chão, mas se desgastam mais rapidamente. Os macios, por sua vez, também aderem bem ao asfalto, mas se desgastam em pouco tempo e são mais lentos, enquanto sua durabilidade é maior.

“Evidentemente, nosso objetivo sempre é ter entre duas e três paradas em cada corrida, assim que isso é algo que controlamos bem na hora de fazer designações de pneus. Temos a possibilidade de fazer mudanças menores, se necessário. Esperamos uma pequena diferença de tempo entre os dois compostos na Áustria. Isso abre várias possibilidades distintas no que se refere à estratégia de corrida”, completou.

O GP da Áustria parou de ser disputado em 2003 e só voltou ao calendário da Federação Internacional do Automobilismo (FIA) no ano passado. Desse modo, as equipes terão os dados da última temporada para formularem suas estratégias e encontrar o modo mais eficiente de usar os pneus.

No ano passado, a maioria dos pilotos fez duas paradas na Áustria. Apenas três corredores fizeram uma única parada. Campeão, Nico Rosberg largou em terceiro com pneus supermacios e trocou para os macios na 11ª volta. O piloto da Mercedes fez nova troca na volta 40 e tal estratégia lhe permitiu cruzar a linha de chegada em primeiro lugar.

Fonte: GazetaEsportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *