F1: Em prova movimentada, Sebastian Vettel vence GP da Hungria

O alemão Sebastian Vettel (Ferrari) venceu neste domingo (26/07) o GP da Hungria, no circuito de Hungaroring, em Budapeste, décima etapa da temporada. Foi a segunda vitória de Vettel no ano, e 41ª na categoria. A dupla da Red Bull, o russo Daniil Kvyat e o australiano Daniel Ricciardo completaram o pódio.

A primeira largada foi abortada, devido ao brasileiro Felipe Massa (Williams) não ter parado na posição correta. Massa levou uma punição de cinco segundos (cumprida no primeiro pit stop).

Logo na largada, a dupla da Ferrari surpreendeu com Vettel assumindo a ponta, seguido pelo finlandês Kimi Raikkonen.  O alemão Nico Rosberg (Mercedes) era o terceiro.

Pole-position, o britânico Lewis Hamilton (Mercedes) saiu da pista, logo nas primeiras curvas. E caiu para a décima posição. Pelo rádio, Hamilton reclamou que Rosberg o forçou a sair da pista.

Com 20 voltas disputadas, Vettel tinha 3s2 de vantagem sobre Raikkonen.  Pouco depois o alemão foi para os boxes, trocando os pneus para os macios. Na sequencia Raikkonen, que liderou uma volta, também colocou os macios.

Vettel liderava seguido por Raikkonen, Rosberg, Ricciardo e Hamilton (que fazia uma prova de recuperação). Rosberg e Ricciardo colocaram pneus médios e Hamilton os macios.

Hamilton partiu para cima de Ricciardo e usando o DRS, conseguiu a ultrapassagem na saída da curva um. 

Vettel abriu 9s1 de vantagem sobre Raikkonen, que começou a ter problemas em sua Ferrari.

Na 43ª volta, a asa dianteira do Force India do alemão Nico Hulkenberg quebrou na reta, caindo direto nas rodas dianteiras. O piloto travou os pneus, indo direto na barreira de proteção. A frente do carro ficou destruída, mas Hulkenberg saiu ileso.

O Safety-Car Virtual foi acionado. Praticamente todos os pilotos aproveitaram e foram para os boxes, para outra troca de pneus. Vettel colocou os pneus médios, assim como Raikkonen e as Mercedes. Ricciardo permaneceu com os macios.

Com muitos pedaços de carro espalhados pela pista, o Safety-Car foi acionado. Vettel liderava, seguido por Raikkonen (com problemas de potencia no carro), Rosberg, Hamilton, Ricciardo e o finlandês Valtteri Bottas (Williams).

Na relargada, na 49ª volta, Vettell manteve a ponta, com Rosberg passando Raikkonen na primeira curva. Ricciardo partiu para cima de Hamilton e os dois se tocaram, com a Mercedes danificando a asa dianteira. Na confusão Bottas levou um toque do holandês Max Verstappen (Toro Rosso) e teve o pneu traseiro direito furado. Hamilton e Bottas foram para os boxes.

Ricciardo, mesmo com um dano na lateral do carro, se manteve na pista, e ultrapassou Raikkonen pelo terceiro lugar.

Com 52 voltas disputadas, Vettel tinha 1s4 de vantagem sobre Rosberg, que mostrava não ter condições de atacar o tetracampeão. Kvyat superou Raikkonen, pela quarta posição. Pouco depois Raikkonen foi para os pits, a equipe religou o carro, que retornou a pista. Mas levou o carro de volta aos boxes, abandonando. 

Sem conseguir atacar Vettel, Rosberg começou a ver a aproximação de Ricciardo, que tinha pneus macios. Hamilton, na 12ª posição, levou um drive through, pelo toque com Ricciardo. 

Faltando cinco voltas para o final, Ricciardo tentou superar Rosberg, mas acabou tocando na traseira do alemão. Que teve o pneu traseiro esquerdo furado. Rosberg se arrastou até os boxes, para trocar o pneu. Ricciardo, com a asa dianteira danificada, também foi para os boxes.

Vettel venceu seguido por Kvyat, que herdou a posição de Ricciardo. Foi o primeiro pódio de Kvyat na categoria.

Max Verstappen, mesmo cumprindo um drive-through, terminou em quarto (seu melhor resultado na categoria).

Desde o GP do Brasil de 2013, um piloto da Mercedes não terminava uma prova fora do pódio.

O espanhol Fernando Alonso (McLaren), em quinto, conquistou o melhor resultado da equipe no ano. Hamilton terminou em sexto, seguido pelo francês Romain Grosjean (Lotus). 

Rosberg foi o oitavo, com o britânico Jenson Button (McLaren) e o sueco Marcus Ericsson (Sauber) completando a zona de pontos.

O brasileiro Felipe Nasr (Sauber) terminou na 11ª posição, seguido por Massa.

Hamilton lidera o campeonato com 202 pontos, seguido por Rosberg com 181 e Vettel com 160.

A próxima etapa acontece no dia 23 de agosto, em Spa-Francorchamps, na Bélgica. 

1. Sebastian Vettel ALE Ferrari-Ferrari 69 voltas em 1h46m09s985

2. Daniil Kvyat RUS Red Bull-Renault +15.7s 

3. Daniel Ricciardo AUS Red Bull-Renault +25.0s 

4. Max Verstappen HOL Toro Rosso-Renault +44.2s 

5. Fernando Alonso ESP McLaren-Honda +49.0s 

6. Lewis Hamilton GBR Mercedes-Mercedes +52.0s 

7. Romain Grosjean FRA Lotus-Mercedes +58.5s 

8. Nico Rosberg ALE Mercedes-Mercedes +58.8s 

9. Jenson Button GBR McLaren-Honda +67.0s 

10. Marcus Ericsson SUE Sauber-Ferrari +69.1s 

11. Felipe Nasr BRA Sauber-Ferrari +73.4s 

12. Felipe Massa BRA Williams-Mercedes +74.2s 

13. Pastor Maldonado VEN Lotus-Mercedes +80.2s 

14. Valtteri Bottas FIN Williams-Mercedes +85.1s 

15. Roberto Merhi ESP Manor Marussia-Ferrari +2 voltas

16. Will Stevens GBR Manor Marussia-Ferrari +4  voltas

Abandonos:

Carlos Sainz Jr ESP Toro Rosso-Renault 60 voltas

Kimi Raikkonen FIN Ferrari-Ferrari 55 voltas

Sergio Perez MEX Force India-Mercedes 53 voltas

Nico Hulkenberg ALE Force India-Mercedes 41 voltas

Fotos (click em slide para mais fotos): FIA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *