F1: “Estaremos melhores na Alemanha”, diz Lucas

Brasileiro não completou o GP no novo traçado inglês por causa de um problema hidráulico que, segundo a equipe, já teve origem identificada e solucinada para próxima corrida.

O circuito de Silverstone acabou com uma seqüência de três provas em que Lucas Di Grassi (Clear, Sorocred, Locaweb, Eurobike, Schioppa) vinha sempre terminando as corridas, demonstrando a evolução de seu VR-01 no quesito confiabilidade. Neste domingo (11), no entanto, no Grande Prêmio da Grã-Bretanha, a Virgin estreou seu maior e mais ousado pacote de atualizações aerodinâmicas e mecânicas visando diminuir o peso do bólido, bem como ganhar mais velocidade e estabilidade.

No entanto, o brasileiro foi forçado a abandonar a corrida na décima das 52 voltas do GP britânico – vencido pelo australiano Mark Webber, da Red Bull. Apesar disso, o piloto da Virgin faz um balanço positivo do final de semana. “Trouxemos o nosso maior pacote de atualizações desde o início da temporada, foi um grande passo adiante, e pudemos perceber que o carro melhorou muito, mas com as ondulações da pista aqui em Silverstone, ainda não conseguimos tirar o máximo do conjunto”, ponderou o piloto.

“Chegamos mais perto da Lotus. Apesar do abandono, foi um bom final de semana em termos de performance. Uma pena ter acontecido comigo este pequeno problema hidráulico, coisa que ainda não havia aparecido antes, mas cuja origem já foi encontrada pela equipe e solucionada para os próximos GPs”, afirmou Di Grassi, que esperava repetir em Silverstone o bom desempenho demonstrado no GP da Europa, disputado há duas semanas, em que foi o primeiro colocado entre os pilotos das equipes novatas.

“O balanço geral é positivo. Chegamos mais perto da Lotus e espero na Alemanha ser o melhor das equipes novatas, como aconteceu em Valência”, concluiu.

O Grande Prêmio da Alemanha acontece no dia 25 de julho no circuito de Hockenheim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *