F1: Ex-agente do filho, pai de Hamilton comenta relação com o piloto

A parceria entre Anthony Hamilton e seu filho, Lewis Hamilton, foi abalada no ano passado. Ex-empresário de Hamilton, Anthony largou o posto em 2010 de maneira pouco amigável e assistiu à distância o piloto da McLaren, que queria aproveitar tudo o que não podia quando estava sob o jugo de seu pai. Um ano depois da separação, Anthony deu sua primeira entrevista sobre o assunto e contou ao jornal inglês Daily Telegraph detalhes dos bastidores da relação.

“O desejo de cada um ir para o seu lado era mútuo. Discutimos isso por anos, só não aconteceu da maneira que nós gostaríamos que tivesse sido. Foi difícil [em 2010], sempre seria difícil. Teria que acontecer em algum momento. A realidade é que eu queria a minha vida de volta, eu tinha passado quase 18 anos trabalhando para que ter a certeza de que Lewis não perderia sua grande oportunidade”, disse Anthony Hamilton.

Assim que foi anunciado o fim da parceria entre pai e filho, Anthony não era mais figura presente em todos os Grand Prix de F-1, enquanto Hamilton aproveitava seu tempo livre para “sair dos trilhos” e curtir a adolescência tardia.

Em um de seus atos como adolescente ‘inconseqüente’, Hamilton foi multado após o GP da Austrália de 2010, por praticar manobras perigosas nas ruas ao redor do circuito de Albert Park, palco da corrida da F-1. O piloto tinha sido flagrado pela polícia australiana e teve que pagar uma multa de R$ 785 pela infração.

“O incidente [após o GP da Austrália-2010] fez parte do crescimento dele. Foi um erro, mas quem não errou? Você tem que lembrar que, juntos, nós conquistamos o nosso sonho: ele era campeão mundial, com seu dinheiro no banco. Ele nunca seria como eu. Este era o objetivo, mas para consegui-lo, ele não fez nenhuma das coisas normais que os adolescentes fazem. Todos nós ainda estamos aprendendo”, considerou o pai de Hamilton.

Além dos resultados ruins na temporada, circulavam boatos no circo da F-1 de que a relação entre Hamilton e seu pai ia de mal a pior. No final do ano passado, o piloto da McLaren chegou a afirmar que problemas externos estariam atrapalhando seu desempenho na pista, deixando implícito que o desentendimento com seu pai era um desses problemas, senão o principal.

Neste ano, Anthony e Lewis retomaram contato e estão voltando às boas aos poucos. Apenas pai e filho, os dois estão mais próximos e os resultados estão aparecendo. No GP da Austrália, etapa de estreia do Mundial de F-1 2011, Hamilton cruzou a linha de chegada em segundo, superando as rivais Ferrari e Mercedes.

“Eu fiquei um ano a mais, este foi o meu maior erro. Eu sabia que tínhamos chegado ao ponto em que ele tinha a vida dele do jeito que ele queria: o título mundial, sua própria namorada, seu próprio dinheiro. O problema é que em 2009 o carro não estava bom. Eu não queria sair quando as coisas não estavam bem. Eu fiz a ‘coisa de pai'”, explicou.

Nesta temporada da F-1, Anthony estará mais presente nos bastidores da categoria, uma vez que é o empresário de Paul di Resta, novo piloto da Force India. Por fim, o pai de Hamilton afirmou que tudo o que aconteceu em 2010 serviu de aprendizado tanto para ele quanto para o piloto.

“Com certeza eu aprendi muitas coisas no ano passado. O que estou querendo dizer é que o jeito que 2010 aconteceu foi bom para nós. Estou tentando levar a vida mais tranquilamente agora”, finalizou Anthony.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *