F1: Ex-piloto Andrea de Cesaris falece em acidente de moto

O italiano Andrea de Cesaris faleceu no domingo (05/10), aos 55 anos, em um acidente de moto, em Roma, na Itália. Segundo informação, De Cesaris faleceu instantaneamente ao bater sua moto em um guard-rail.

De Cesaris disputou 208 GPs na Fórmula-1, entre 1980 e 1994. Conquistou cinco pódios, uma pole e uma melhor volta, e marcou 59 pontos. Apesar dos inúmeros acidentes, alguns cinematográficos, protagonizados pelo italiano, ele era um dos mais populares pilotos da sua época.

De Cesaris estreou na F-1 em 1980, pela Alfa-Romeo, no GP do Canadá.  Em 1981, ajudado pela ligação de seu pai com a Marlboro, De Cesaris foi contratado pela McLaren.  Os 18 acidentes durante a temporada levou ao apelido “”Andrea de Crasheris”. Ele marcou apenas um ponto, com o sexto lugar no GP de San Marino.

Nos dois anos seguintes, De Cesaris defendeu a Alfa-Romeo, e conquistou os seus melhores resultados na carreira. Foram vinte pontos, com dois segundos lugares (Alemanha e África do Sul, 1983) e um terceiro (Mônaco, 1982). No GP de Long Beach, nos EUA, De Cesaris alinhou na pole-position, a sua única na categoria. Terminou a temporada de 1983 em oitavo entre os pilotos, com 15 pontos.

Em 1984 e 1985, De Cesaris defendeu a Ligier, com poucos resultados de destaque. Foram seis pontos, de um quarto, um quinto e um sexto lugar. Após um forte acidente no GP da Áustria, De Cesaris foi dispensado pela equipe.

Na pequena Minardi em 1986, De Cesaris pela primeira vez terminou uma temporada sem pontuar.

Em 1987, defendendo a Brabham, terminou em terceiro lugar no GP da Bélgica. Após o GP Belga, De Cesaris não terminou mais nenhum GP do ano.

Com a saída da Brabham da F-1, De Cesaris assinou cm uma pequena equipe alemã, a Rial, para 1988. No GP dos EUA, terminou em quarto lugar.

No ano seguinte, o italiano voltou a pilotar um carro patrocinado pela Marlboro, o BMS Scuderia Italia. No GP do Canadá, disputado com chuva, terminou em terceiro. Em 1990, não marcou pontos,  e deixou a equipe no final do ano.

De Cesaris acertou com a novata Jordan para 1991. Durante o ano, foram dois quarto lugares (Canada e México), um quinto (    Alemanha) e um sexto (França). Os nove pontos lhe renderam a nona posição entre os pilotos. Contra a sua vontade, mas com problemas financeiros, Eddie Jordan dispensou De Cesaris no final do ano.

O italiano foi para a Tyrrell em 1992. No primeiro ano pela equipe inglesa, De Cesaris terminou quatro vezes entre na zona de pontos (na época apenas os seis primeiros pontuavam). Foi um quarto lugar (Japão), dois quintos (Mexico e Canadá) e um sexto (Itália). No final do ano, foram oito pontos, e a nona posição entre os pilotos.

No ano seguinte, contudo os motores Yamaha se mostraram fracos, e De Cesaris passou o ano sem somar pontos.

Em 1994, pela primeira vez desde 1980, De Cesaris começou o ano sem um carro na F-1. Mas ele retornou a categoria logo na terceira etapa da temporada, substituindo o suspenso irlandês Eddie Irvine na Jordan. Na etapa seguinte, em Mônaco, terminou em quarto.

De Cesaris voltaria a substituir outro piloto naquele ano, o austríaco Karl Wendlinger, que sofreu um forte acidente no GP de Mônaco. Foram nove GPs, com De Cesaris terminando em sexto na França.  O GP da Europa foi o último disputado por De Cesaris.

Após se retirar das pistas (com um breve retorno no GP Masters entre 2005 e 2006), De Cesaris se tornou corretor de valores e windsurfista nas horas vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *