F1: Fernando Alonso vence a segunda consecutiva

O espanhol Fernando Alonso (Ferrari) venceu neste domingo (26/09), o GP de Cingapura, no circuito de Yas Marina, 15ª etapa da temporada. Foi a sua segunda vitória consecutiva, e 4ª no ano. O alemão Sebastian Vettel (Red Bull) foi o 2º, seguido pelo parceiro de equipe, o australiano Mark Webber.

Na largada Alonso defendeu a pole-position jogando o carro para cima de Vettel. O brasileiro Rubens Barrichello (Williams) foi o único dos primeiros colocados a perder posições na partida, caindo da 6ª para a 8ª posição, atrás do alemão Nico Rosberg (Williams) e o polonês Robert Kubica (Renault). O espanhol Jaime Alguersuari (Toro Rosso), 11º no grid, com suspeita de vazamento de água, largou do pit lane. 

Alonso era o líder, seguido por Vettel, os ingleses Lewis Hamilton e Jenson Button, ambos da McLaren, Webber, Rosberg, Kubica e Barrichello.

Saindo da última posição do grid, após ter problemas de câmbio na classificação, o brasileiro Felipe Massa (Ferrari) entrou nos boxes logo na 2ª volta, trocando os pneus. Com o bico do carro quebrado, depois de um toque no muro, o alemão Nick Heidfeld (Sauber) parou nos pits, com a equipe colocando um novo bico.

O italiano Vitantonio Liuzzi (Force India), com a suspensão quebrada, parou no meio do circuito, com o Safety-Car sendo acionado na 3ª volta. Webber antecipou a sua parada nos boxes, sendo o único dos ponteiros a fazer a troca de pneus, voltando em 11º. Massa era o 15º.

Alonso manteve a ponta na relargada, na 6ª volta. Nas vinte voltas seguintes as sete primeiras posições se mantiveram inalteradas: Alonso, com 3 segundos de vantagem sobre Vettel, Hamilton, Button, Rosberg, Kubica e Barrichello. Webber, com pneus novos, era o 8º, seguido pelo alemão Michael Schumacher (Mercedes) e o japonês Kamui Kobayashi (Sauber). Na 27ª volta o italiano Jarno Trulli (Lotus) abandonou nos boxes.

Na 29ª volta Hamilton fez a sua parada nos boxes. Na volta seguinte Vettel e Alonso entraram juntos. O espanhol manteve a ponta na saída, com o Red Bull de Vettel dando uma pequena engasgada ao deixar os boxes. Com a parada dos lideres Webber assumiu a terceira posição.

Disputando posição Schumacher e Kobayashi se enroscaram, com o heptacampeão tocando a barreira de pneus. Schumacher teve que entrar nos pits.

Na volta seguinte, 32ª, Kobayashi bateu forte no muro.  Diversos pilotos que vinham atrás, entre eles Massa, conseguiram desviar do carro do japonês, contudo o brasileiro Bruno Senna (Hispania) não conseguiu, acertando em cheio a traseira do Sauber. O Safety-car foi acionado pela segunda vez.

A ordem dos dez primeiros era: Alonso, Vettel, Webber, Hamilton, Button, Rosberg, Kubica, Barrichello, e os alemães Adrian Sutil (Force India) e Nico Hulkenberg (Williams).

Fazendo a sua primeira prova na F-1 desde 2006, o austríaco Christian Klien (Hispania) abandonou nos boxes na 33ª volta. 

Na 36ª volta a prova recomeçou. Webber perdeu tempo atrás do brasileiro Lucas di Grassi (Virgin) com Hamilton tentando passar o Red Bull, por fora, na curva sete. O australiano se defendeu, com os carros se tocando. Poucos metros depois Hamilton, com o carro danificado e um pneu furado, abandonou, deixando o cockpit de seu McLaren furioso. Antes de sair jogou longe o volante.

Com o abandono de Hamilton, o seu segundo consecutivo, Massa entrou na zona de pontos.

Schumacher e Heidfeld se tocaram na 37ª volta, com Heidfeld abandonando no muro. Com a asa dianteira danificada Schumacher foi para os boxes.

Alonso mantinha a ponta, com Vettel diminuindo a diferença para pouco mais de um segundo, mas sem conseguir se aproximar o suficiente para tentar uma ultrapassagem.

Na 46ª volta Kubica, com um pneu traseiro furado, teve que entrar nos boxes, caindo da 7ª para a 13ª posição.

Faltando dez voltas para o final as posições eram: Alonso, Vettel, Webber, Button, Rosberg, Barrichelllo, Sutil, Hulkenberg, Massa e o russo Vitaly Petrov (Renault) em 10º. O alemão Timo Glock (Virgin), que nas primeiras voltas da prova chegou a andar na 10ª posição, abandonou.

Com pneus novos, Kubica começou uma seqüência de ultrapassagens, alcançando a 7ª posição na 55ª volta, ao ultrapassar Sutil por fora.

Na 59ª volta o suíço Sebastien Buemi (Toro Rosso) e o finlandês Heikki Kovalainen (Lotus) se tocaram, com ambos continuando na prova. Uma volta depois, com o carro pegando fogo, Kovalainen parou na reta dos boxes. Pela cerca o piloto pediu um extintor de incêndio, apagando o fogo que consumia a traseira de seu Lotus, antes de um fiscal chegar com outro extintor.  

Alonso e Vettel fizeram a última volta colados, com o espanhol recebendo a bandeirada com 0s293 de vantagem. Webber completou o pódio.

Button foi o 4º, seguido por Rosberg, Barrichello e Kubica. Depois da prova Sutil foi punido, por cortar a curva sete na primeira volta. Com o acréscimo de vinte segundos ao seu tempo final, o alemão caiu da 8ª para a 10ª posição.

A Force India não gostou e acusou Hulkenberg de ter feito o mesmo. Com isso a direção de prova também aplicou uma punição de 20 segundos ao parceiro de Barrichello.

Massa acabou se dando bem, ganhando duas posições, passando para 8º, a frente de Sutil, que recuperou uma posição, e Hulkenberg. Di Grassi terminou em 15º.

Webber lidera o campeonato com 202 pontos. Alonso subiu para 2º, com 191. Hamilton caiu para 3º, com 182.

A próxima prova, o GP do Japão, acontece no dia 10 de outubro. 

Final:

1: Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – 1h57min53s579
2: Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) – a 0s293
3: Mark Webber (AUS/Red Bull) – a 29s141
4: Jenson Button (ING/McLaren) – a 30s384
5: Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 49s394
6: Rubens Barrichello (BRA/Williams) – a 56s101
7: Robert Kubica (POL/Renault) – a 1min26s559
8: Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 1min53s297
9: Adrian Sutil (ALE/Force India) – a 1min52s416*
10: Nico Hulkenberg (ALE/Williams) – a 1min52s791*
11: Vitaly Petrov (RUS/Renault) – a 1 volta
12: Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso) – a 1 volta
13: Michael Schumacher (ALE/Mercedes) – a 1 volta
14: Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso) – a 1 volta
15: Lucas Di Grassi (BRA/Virgin) – a 2 voltas
16: Heikki Kovalainen (FIN/Lotus) – a 3 voltas

*Punidos em 20 segundos por cortarem caminho

Abandonos:

Timo Glock (ALE/Virgin)  51ª volta
Nick Heidfeld (ALE/Sauber) 35ª volta
Lewis Hamilton (ING/McLaren) 34ª volta
Christian Klien (AUT/Hispania) 30ª volta
Kamui Kobayashi (JAP/Sauber) 29ª volta
Bruno Senna (BRA/Hispania) 28ª volta
Jarno Trulli (ITA/Lotus) 26ª volta
Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India) 1 volta 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *