F1: FIA admite adiar polêmico sistema de pontuação para 2010

Através de um curto comunicado oficial divulgado nesta sexta-feira, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) admitiu que pode voltar atrás em sua polêmica decisão de definir o campeão desta temporada pelo número de vitórias e não pela soma total dos pontos conquistados ao longo do ano.

“Se, por qualquer razão, os times da Fórmula 1 não concordarem com o novo sistema, sua implementação pode ser adiada para 2010”, afirmou a entidade, que defendeu-se. “A reunião do Conselho Mundial em 17 de março rejeitou por unanimidade a proposta da Fota em alterar o sistema de pontos. A proposta “tudo para os vencedores”, feita pelo dono dos direitos comerciais (que disse que os times eram a favor) foi então aprovada”, explica o documento.

A reação da FIA veio pouco tempo depois de a Fota (sigla em inglês para Associação dos Times de Fórmula 1) divulgar uma nota nesta sexta questionando a validade da mudança, visto que, de acordo com eles, uma alteração tão profunda faltando poucos dias para o início do campeonato deveria ter a concordância de todos. O Mundial 2009 começa em 29 de março, na Austrália.

E concordância com relação à nova regra foi o que menos se viu nos últimos dias: nomes como Rubens Barrichello, Fernando Alonso, Jarno Trulli, Lewis Hamilton e até o aposentado Michael Schumacher criticaram a alteração. O mesmo fez o presidente da Ferrari, Luca di Montezemolo. Além de Bernie Ecclestone, responsável pela parte financeira da categoria, o único a se manifestar a favor da medida foi Flavio Briatore, chefe da Renault.

O sistema “tudo para o vencedor” havia sido uma grande vitória política de Ecclestone, que há meses defendia a introdução do sistema olímpico na Fórmula 1, com distribuição de medalhas de ouro, prata e bronze para os três primeiros colocados. Apesar de o simbolismo da premiação não ter sido aprovado, o dirigente se deu por satisfeito com tamanha valorização do primeiro lugar.

Neste ano, a Fota também havia proposto a sua versão para a mudança, dando mais importância à vitória, porém, sem menosprezar os outros competidores. Pela ideia das equipes, que dizem ter se baseado em uma pesquisa de análise global, o primeiro lugar passaria de 10 para 12 pontos, o segundo de oito para nove e o terceiro de seis para sete. Quarto, quinto, sexto, sétimo e oitavo colocados seguiriam ganhando respectivamente cinco, quatro, três, dois e um ponto.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *