F1: FIA divulga nota esclarecendo briga e prevê novo acordo

O presidente da Federação Internacional de Automobilismo, Max Mosley, se revelou surpreso com a rebeldia apresentada pelos dirigentes da Fota (Associação de Times da Fórmula 1), ao descobrir durante reunião realizada nesta quarta-feira que não poderiam opinar quanto à definição das regras do próximo mundial. A entidade divulgou nota nesta quinta-feira esclarecendo que essa condição já havia sido definida previamente.

“Antes da reunião, o presidente da FIA escreveu duas vezes para a Fota lembrando que qualquer alteração no regulamento de 2010 estaria sujeita à aprovação unânime das cinco equipes que já estão inscritas para a próxima temporada (Williams, Force Índia, USF1, Manor e Campos). Sugerir que a Fota só foi avisada disso durante a reunião é simplesmente uma inverdade”, disse o comunicado.

Irritados, os dirigentes da Fota deixaram a reunião e voltaram a ameaçar a realização do Mundial de 2010 da categoria. As partes haviam firmado um acordo nos últimos dias, determinando que o regulamento de 2009 seria mantido, mas com pequenas alterações – a serem definidas pela FIA e as cinco equipes inscritas.

Segundo o comunicado, os times rebelados tentaram ditar novas regras através de um documento enviado em 25 de junho. “O trato feito em Paris era que estenderíamos o acordo de 1998 com pequenas alterações. Mas no dia 25 de junho, em vez destas pequenas alterações, a FIA recebeu 350 páginas com um acordo completamente novo”, continua o comunicado.

Apesar disso, ainda há confiança para uma nova trégua: “Atualmente parece provável que um esboço final do Acordo de Concórdia de 2009 (documento assinado em 1988 com as regras) será acertado e estará pronto para assinaturas nos próximos dias”, complementa o documento divulgado pela FIA.

Enquanto isso, as equipes que compõem a Fota (Sauber, Brawn GP, Force India, Renault, Red Bull, Ferrari, Toro Rosso, Toyota e McLaren) continuam cogitando a construção de um campeonato alternativo, muito embora também tenham ciência de que novo acordo com a FIA esteja próxima.

“É muito simples. Há ainda alguns esforços irritantes que nos surpreendeu. Ainda não temos um acordo, embora eu acredite que estamos fazendo progressos, apesar de lentos. Nós não podemos sentar e esperar para saber se o acordo será favorável. Portanto temos que ter todas as opções em estudo”, afirmou Mario Theissen, diretor da BMW Willians.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *