F1: Gerente de Silverstone pede união de circuitos tradicionais por “alma” da F1

Em 2008, o GP francês de Nevers Magny-Cours foi eliminado do calendário da Fórmula 1, assim como a etapa alemã, que viu os históricos circuitos de Nurburgring e Hockenheim se declarando incapazes de sediar o evento neste ano. Para piorar, a prova de Monza, na Itália, terá o vínculo encerrado ao fim de 2016, sem previsão de renovação. Com esse cenário, e as recentes propostas feitas por circuitos do Oriente Médio, a equipe responsável pela etapa inglesa de Silverstone pede união dos circuitos mais tradicionais.

“Na Inglaterra, nós temos a AMRCO (Associação de Donos de Circuitos de Corrida Motorizada, na sigla em inglês), então talvez uma associação internacional formada pelos circuitos de grand prix nos ajudasse nesse sentido, a estreitar os laços. Silverstone é uma prova tradicional, mas não podemos depender apenas disso. Quando menos você tem a oferecer, mais se parece com um animal exótico que precisa ser protegido da extinção”, avaliou o gerente de Silverstone, Patrick Allen, revelando encontros com Bernie Ecclestone, chefe da Fórmula 1.

“Eu fui até o Bernie ao lado do Derek Warwick, e nossas reuniões foram muito produtivas. Ele nos estendeu a mão da amizade para ajudar Silverstone, dizendo que nós deveríamos trabalhar juntos para movimentar as ideias. Eu não sei que ideias são essas ainda, ainda temos que chegar a uma segunda reunião, mas certamente foi uma conversa de apoio”, declarou Allen, pedindo atenção também para a estrutura atual do esporte.

“É por isso que eu peço à FIA e à FOM (equipe diretiva da Fórmula 1) para que examinem as regras com cuidado. Os fãs vêm para prestigiar as corridas, e não para assistir um homem olhando para uma tela cheia de números e dados. A partir do momento em que chegamos a isso, perdemos a verdadeira alma do esporte”, concluiu.

Fonte: GazetaEsportiva.net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *