F1: Glock admite incerteza sobre permanência da Toyota na F-1

O primeiro a abrir o jogo foi Jarno Trulli, e agora é Timo Glock quem reconhece estar preocupado com as especulações de que a Toyota deixará a Fórmula ao fim de 2009. Com o contrato ainda a ser renovado, o alemão está ansioso para definir o futuro, pois, caso acabe saindo, deve ter tempo suficiente para negociar com outras equipes.

Glock, que voltou à Fórmula 1 no ano passado após faturar a GP2, vem deixando a Toyota satisfeita com seus resultados desde então, que incluem dois pódios em 29 etapas realizadas, tanto é que o chefe da escuderia, John Howett, afirmou no último sábado que “há uma grande possibilidade” de manter o piloto de 25 anos.

Quais seriam, então, os motivos para que o germânico não esteja com a cabeça tranquila? As declarações de Trulli datadas também no Grande Prêmio da Europa indicando que os japoneses podem seguir o caminho traçado recentemente por BMW e Honda. “Há um pouco de preocupação no momento”, admitiu Glock à revista londrina Autosport. “Se você olhar a situação da BMW… acho que todas as montadoras estão em uma situação difícil”, emendou, em referência ao cenário de crise econômica internacional.

Assim como Trulli, cuja permanência na Toyota é complicada mesmo se o time de Fórmula 1 continuar em pé, o alemão vê seu contrato expirar em 2009, sendo que há uma opção de renovação automática. E é exatamente a formalização disso que ele espera assinar em breve. “Tomara que tudo vá conforme o planejado e eu fique, mas para mim não é fácil, porque você nunca sabe o que está acontecendo. Caso dê algo errado, seria necessário analisar outras opções”.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *