F1: Hamilton diz que possível título não será manchado por escândalo

O britânico Lewis Hamilton, líder do Mundial de Pilotos da Fórmula 1 pela equipe McLaren, afirmou que precisará se superar para se tornar o primeiro estreante desde 1950 a conquistar o título.

No entanto, o piloto de 22 anos negou que o título ficaria manchado se ele ou o colega espanhol Fernando Alonso vencerem, depois de um escândalo de espionagem que afetou a equipe e a categoria.


“Todos nós trabalhamos duro neste ano, e da forma que eu vejo, a equipe não fez absolutamente nada errado”, disse o estreante da temporada, após o Grande Prêmio da Bélgica de domingo.


A disputa pelo título de pilotos é a única que ainda interessa à McLaren, já que a equipe perdeu todos os pontos no Mundial de Construtores de 2007 e ainda foi multada em 100 milhões de dólares por ter obtido ilegalmente dados confidenciais da Ferrari.


“Eu aproveitei a oportunidade que me deram e só fiz o melhor trabalho que eu pude. Não vejo porque as pessoas diriam, caso eu vença, que o campeonato foi manchado”, disse Hamilton.


Primeiro piloto negro na história da Fórmula 1 e com três vitórias até o momento em sua temporada de estréia, ele terminou em quarto lugar em Spa-Francorchamps e tem dois pontos de vantagem para Alonso no campeonato, com três corridas restando para o final da temporada.


“Nunca me senti favorito para o título. É sempre mais fácil quando você está perseguindo alguém em vez de se defendendo”, disse ele.


“Quando você está liderando, é bem mais difícil manter a sequência e tudo mais”, acrescentou.


O escândalo de espionagem começou em julho, após um documento com 780 páginas de informações técnicas da Ferrari ser encontrado na casa do projetista da McLaren Mike Coughlan, que foi suspenso. A McLaren foi suspensa na última quinta-feira pela FIA, porém a pontuação dos pilotos permaneceu inalterada.


Por Alan Baldwin (Reuters)


 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *