F1: Hamilton e McLaren estariam em rota de colisão

Segundo o jornal britânico The Sun, Lewis Hamilton está bravo. Em matéria divulgada nesta segunda-feira, o jornal conta que o segundo resultado ruim da temporada (ficou em sétimo lugar na prova deste domingo e não pontuou na Austrália) somado ao fato de o rival britânico Jenson Button cravar a segunda vitória seguida deixaram Hamilton de mal com a vida.

Além disso, ele passou pela humilhação pública de ter que se desculpar por ter mentido – a escuderia teria pedido para que ele mentisse a respeito de uma ultrapassagem quando o safety car estava na pista no primeiro GP do ano. “Foi o pior fim de semana da minha vida e vocês sabem o motivo”, disse ele.

A nota ainda diz que existe uma cláusula no contrato de 75 milhões de euros (cerca de R$ 225 milhões) entre Hamilton e a McLaren, o que permite que o piloto rompa o acordo se seu nome for manchado. Houve rumores de que Hamilton teria ameaçado sair depois da confusão no do GP da Malásia. “A relação entre ele e a escuderia que o apóia há uma década está no limite”, diz a nota.

Quem pediu para ele mentir, segundo divulgado nos jornais do mundo todo, foi o diretor esportivo da escuderia, Dave Ryan, afastado depois do episódio. Já o chefe de Hamilton na McLaren, o ameaçado Martin Whitmarsh, tentou repetidas vezes ontem dizer que tudo estava acertado entre piloto e escuderia depois de uma longa conversa com o pai de Hamilton, que também é seu gerente. Segundo o The Sun, Whitmarsh não foi convincente.

Fonte: Terra

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *