F1: Hamilton reage a críticas e promete lutar pelo título

O piloto Lewis Hamilton deixou o Grande Prêmio da França deste domingo de mãos abanando mas desafiador, atacando críticos da mídia e prometendo uma volta à luta pelo título.

O britânico de 23 anos, penalizado em dez posições no grid de largada e em seguida punido com uma passagem pelos boxes, largou em 13o e terminou na décima colocação.


Foi a terceira vez em dez largadas nesta temporada que Hamilton sai sem pontos. Agora ele está dez pontos atrás de Felipe Massa, vencedor na França e novo líder do campeonato a dez corridas do final da competição.


Duas provas atrás, depois de uma vitória impressionante em Mônaco, o piloto da McLaren liderava a tabela na Fórmula 1.


A mensagem de Hamilton para os dirigentes da F1 depois da corrida foi categórica.


“Não há nada que possam fazer para me distrair. Podem continuar me penalizando, fazendo o que quiserem, eu vou continuar lutando e tentando dar a volta por cima com um bom resultado”, disse ele aos repórteres.


O GP britânico em Silverstone é o próximo do calendário, marcando a metade da temporada, e Hamilton se coloca como um dos principais competidores ali.


“Estou mirando 100 por cento em uma recuperação lá, independentemente do que estará nos jornais amanhã”, declarou.


MENTALMENTE FORTE


“Vou voltar à oficina amanhã, e vamos nos concentrar na próxima corrida, vamos pra cima com tudo. Sinto-me tranquilo. Está tudo bem”, disse o britânico, negando estar irritado.


“Correr é isso. Ainda estou aqui e não há nada que possam fazer para me tirar daqui.”


“Vou continua lutando, e ainda há um longo caminho a percorrer. Não me importa o quanto atrás estou, Kimi (Raikkonen) estava 17 pontos atrás faltando duas corridas para terminar a temporada passada e mesmo assim venceu. Se estou 20 pontos atrás não me importo, vou me recuperar.”


Hamilton, que se mudou para a Suíça para fugir dos altos impostos britânicos e da atenção do público, foi coroado herói na Grã-Bretanha desde sua estréia espetacular em 2007.


Entretanto, ele foi duramente criticado por bater na traseira da Ferrari de Raikkonen na saída dos boxes no circuito de Montreal, justamente o incidente que lhe custou a penalidade em Magny-Cours e manchetes como “Piloto de teste” e “Lew, o tonto.”


“Eu descobri que existe muita negatividade na mídia, o que é de se esperar”, disse Hamilton à rede britânica ITV antes da corrida deste domingo.


“É isso que eles fazem: colocam você lá em cima e depois te derrubam, mas não podem me destruir.”


“Estou aqui para correr, e não quero nada disso. Mas sou muito forte mentalmente, e minha crença em minha habilidade é mais forte do que nunca, nada pode me destruir”, completou. 
  
Fonte: Reuters

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *