F1: Irritado, Bernie não deixará Mosley ‘destruir’ a Ferrari

As críticas de Luca di Montezemolo sobre o novo teto orçamentário da Fórmula 1 motivaram uma postura radical de Max Mosley, mas um dos dirigentes mais próximos ao presidente da FIA (Federação Internacional de Automobilismo), discorda totalmente da posição do amigo. Assim, Bernie Ecclestone assegura que fará de tudo para manter a Ferrari na categoria.

Um dos principais críticos à proposta da FIA de limitar os gastos das equipes a 40 milhões de libras (cerca de R$ 129 milhões), Di Montezemolo argumentou que a nova regra criará ‘duas séries diferentes’ dentro da Fórmula 1. A resposta de Mosley não demorou, e no último sábado ele assegurou que a montadora italiana não é imprescindível.

Ecclestone, porém, não aprova o surgimento dessa pendenga, assinalando nesta segunda-feira ao diário inglês The Times que não deixará o colega ‘destruir’ a Ferrari. “O problema com Luca é que ele não pode deixar espaço para Max iniciar um debate. Ele é muito inteligente e não perderá a discussão. Mesmo que você ganhe dele, é como se estivesse em uma audiência na qual quem tem o microfone é ele. Você diz algo interessante, mas não tem o microfone”.

A principal ressalva das equipes que não apoiam o regulamento que entrará em vigor na Fórmula 1 em 2010 é quanto a não-obrigatoriedade de se trabalhar com o novo orçamento. Na verdade, a FIA apenas incentivará os times a fazerem isso, concedendo privilégios como a utilização de motores sem limite de giros e de asas móveis.

Segundo Ecclestone, a proposta como um todo é boa, mas ainda há arestas que devem ser aparadas. “Parece que todo mundo seria favorável à medida, inclusive a Ferrari, se conseguíssemos chegar a um acordo, o que é possível. Há uma preocupação acerca do montante em dinheiro e também das diferenças das regras, mas nada monumental é necessário para resolvê-la”.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *