F1: Kimi, Alonso e Vettel já garantem participação na nova liga

Fora as equipes, a Fórmula 1 também perderá os maiores pilotos do mundo se nenhum acerto de última hora for alcançado para contornar o ‘racha’ envolvendo a Fota (associação de times da F-1) e a FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Estrelas da categoria rainha, Kimi Raikkonen, Fernando Alonso e Sebastian Vettel defenderam a posição de Ferrari, Renault e Red Bull enquanto se preparam para o Grande Prêmio da Inglaterra.

Ainda que nos últimos dias um acordo entre os órgãos parecia passível de ser construído, na noite desta quinta-feira a Fota anunciou que criará realmente uma liga alternativa, visto que o teto orçamentário proposto por Max Mosley não caiu do regulamento até esta sexta, quando o prazo para se inscrever no Mundial 2010 se encerra. Por meio de uma carta, Ferrari, McLaren, Renault, BMW, Toyota, Brawn, Red Bull e Toro Rosso anunciaram que a nova modalidade contará com as ‘principais estrelas, marcas, patrocinadores e companhias historicamente ligadas ao mais alto nível dos esportes a motor’. Pelo menos no que toca aos pilotos, Raikkonen, Alonso e Vettel ratificaram essa declaração.

“Tenho um contrato, então corro onde eles quiserem correr”, disse, por exemplo, o finlandês, cujo vínculo com a Ferrari acaba em 2010. Em todo caso, o campeão da Fórmula 1 de 2007 não esconde que sua preferência seria permanecer na tradicional categoria. “É claro que todos nós queremos estar na F-1 com boas regras. Será uma pena perder isso, mas se, for o caso, vamos para outro lugar”.

Mais duro que Raikkonen, Alonso já decreta o fim do circo no qual estreou em 2001 e volta seu foco para a nova liga da Fota. “Vou competir na nova categoria, não há dúvidas. A F-1 terminou, todo mundo vai estar com os mesmos motores da Cosworth, e assim ela não existe mais”, disparou o espanhol, ironizando a empresa britânica que fornecerá propulsores padrão para USF1, Campos e Manor, escuderias novatas apoiadas pela FIA.

Vettel, por sua vez, acompanhou as palavras do chefe da Red Bull, Christian Horner, querendo correr ‘contra os melhores pilotos e times’. “Isso diz tudo”, assinala o alemão, líder do primeiro treino livre para GP da Inglaterra. “Eu e meu companheiro, Mark Webber, apoiamos a nossa equipe”. Também nesta sexta, Horner havia confirmado que os austríacos não têm interesse em participar de um campeonato sem nomes como os de Ferrari, Renault e McLaren.

Fonte: Gazeta Esportiva.Net

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *