F1: Kimi Raikkonen vence GP da Bélgica

O finlandês Kimi Raikkonen, da Ferrai, venceu neste domingo (30/08), o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps, 12ª etapa da temporada. Foi a primeira vitória de Raikkonen e da Ferrari no ano. O campeão de 2007 encerrou um jejum de vitórias que durava desde o GP da Espanha, em abril do ano passado. Pole-position, o italiano Giancarlo Fisichella, da Force India, terminou num brilhante segundo lugar. O alemão Sebastian Vettel, da Red Bull, completou o pódio.

Quarto no grid, o brasileiro Rubens Barrichello, da BrawnGP, ficou na largada, caindo para a última posição. Poucos metros depois o inglês Jenson Button, da BrawnGP, foi tocado pelo francês Romain Grosjean, da Renault com o espanhol Jaime Alguersuari, da Toro Rosso, acertando o inglês Lewis Hamilton, da McLaren. Com a confusão de carros batidos, Barrichello e o italiano Luca Badoer, da Ferrari, tiveram que desviar para a grama. No final da volta o brasileiro parou nos boxes, enquanto o Safety-Car entrava na pista, para permitir a limpeza da pista, cheia de pedaços de carros.

Pole, Fisichella manteve a liderança, seguido por Raikkonen, o polonês Robert Kubica, da BMw Sauber,  e os alemães Timo Glock, da Toyota, e Nick Heidfeld, da BMW Sauber.

A prova recomeçou na 4ª volta. Usando o KERS Raikkonen superou Fisichella assumindo a liderança. Pela superioridade de equipamento, em relação ao Force India, todos pensaram que o campeão de 2007 iria disparar na frente e Fisichella iria perder mais posições. Contudo o romano manteve o ritmo forte, menos de dois segundos atrás de Raikkonen.

Na 12ª volta, Kubica e Glock foram os primeiros a entrar para o reabastecimento e troca de pneus.A parada de Glock foi demorada, com a Toyota enchendo o tanque do carro. Duas voltas depois Raikkonen, Fisichella, o australiano Mark Webber e Heidfeld fizeram as suas paradas. Webber quase acertou Heidfeld quando deixava o boxe, forçando o alemão a frear, para não bater.

Vettel era o líder, seguido pelo alemão Nico Rosberg, da Williams. Na pista Heidfeld ultrapassou Webber, que pouco depois perdeu mais uma posição, para Barrichello. Os comissários da prova anunciaram que Webber teria que cumprir um drive-trough, pela lambança nos boxes.

Na 16ª volta Vettel foi para a sua primeira parada, deixando a liderança para Rosberg por duas voltas, quando o alemão parou.  Webber, que já havia caído para 11º, cumpriu a sua punição. Os comissários anunciaram que os acidentes de Grosjean/ Button e Hamilton/ Alguersuari, seriam investigados após a corrida.

Uma volta após ter problemas em sua parada nos boxes, perdendo tempo e caindo para última posição, o italiano Jarno Trulli, da Toyota, abandonou.

Alonso entrou nos boxes, na 24ª volta. Com a estratégia de apenas um pit stop, equipe encheu o tanque do Renault, contudo um problema para fixar a roda dianteira esquerda o fez perder dez segundos. Duas voltas depois a equipe avisou ao espanhol que a roda não estava fixada com segurança, instruindo o piloto a diminuir a velocidade e retornar aos boxes. Na mesma volta o finlandês Heikki Kovalainen, da McLaren, que vinha em 4º, fez seu primeiro pit stop.

Na 27ª volta, com os lideres já tendo ido pela primeira vez aos boxes, Raikkonen liderava, com Fisichella a menos de um segundo atrás. Kubica era o 3º, com Vetell na 5ª posição, seguido por Heidfeld e Barrichello (que entrou nos boxes para o segundo pit stop). Alonso chegou aos boxes, abandonando.

O japonês Kazuki Nakajima, da Williams, foi o último dos que largaram com tanque cheio a entrar nos boxes, na 28ª volta.

Raikkonen e Fisichella entraram juntos nos boxes, na 31ª volta. A cronometragem oficial marcou o mesmo tempo para o trabalho de ambas as equipes (7s1). Vettel assumiu a liderança novamente, fazendo a sua segunda parada quatro voltas depois.

Na 35ª volta Raikkonen tinha 0s8 de vantagem sobre Fisichella. Vettel era o 3º, 5s9 atrás do líder, seguido por Kubica e Heidfeld. Com apenas uma parada Kovalainen vinha em 6º, seguido por Barrichello e Rosberg.

Faltando três voltas para a bandeirada o motor Mercedes do BrawnGP de Barrichello começou a soltar fumaça, com o brasileiro se arrastando na pista, vendo a aproximação de Rosberg e Webber.

Raikkonen venceu pela quarta vez em Spa, com 0s939 de vantagem sobre um brilhante Fisichella. Vettel foi o 3º. A dupla da BMW Sauber fez a sua melhor prova no ano, com Kubica em 4º e Heidfeld na 5ª posição. Kovalainen chegou em 6º, com Barrichello milagrosamente mantendo o 7º lugar, mesmo com breve incêndio na traseira do carro. Rosberg fechou a zona de pontos. Webber foi o 9º, pela segunda vez consecutiva.

Button, que saiu pela primeira vez sem pontos de um GP, lidera com 72 pontos. Barrichello tirou dois pontos, e soma 56. Depois de duas provas sem pontuar, Vettel somou seis pontos, e é o 3º, com 53. Webber, com 51,5, é o 4ª colocado.

A próxima etapa acontece no dia 13 de setembro, o GP da Itália, em Monza.

Confira o resultado final da prova:

1. Kimi Raikkonen FIN Ferrari 44 voltas em1h23m50.995
2. Giancarlo Fisichella ITA Force India-Mercedes a 0.939
3. Sebastian Vettel ALERed Bull-Renault a 3.875
4. Robert Kubica POL BMW Sauber a 9.966
5. Nick Heidfeld  ALE BMW Sauber  a 11.276
6. Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes a 32.763
7. Rubens Barrichello BRABrawn-Mercedes a 35.461
8. Nico Rosberg ALE Williams-Toyota  a 36.208
9. Mark Webber AUS Red Bull-Renault a 36.959
10. Timo Glock ALE Toyota a 41.490
11. Adrian Sutil ALE Force India-Mercedes a 42.636
12. Sebastien Buemi SUI Toro Rosso-Ferrari a 46.106
13. Kazuki Nakajima JAPWilliams-Toyota a 54.241
14. Luca Badoer ITA Ferrari a 1m38.177

Abandonos:
Fernando Alonso ESP Renault 26 voltas   
Jarno Trulli ITAToyota 21 voltas     
Jenson Button GBR Brawn-Mercedes 0 volta   
Romain Grosjean FRA Renault 0 volta
Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes 0 volta
Jaime Alguersuari ESP Toro Rosso-Ferrari 0 volta
   
Volta mais rápida

Sebastian Vettel  ALE Red Bull-Renault  1:47.263 na 38ª volta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *