F1: Lewis Hamilton vence GP da Hungria

O britânico Lewis Hamilton (McLaren) venceu neste domingo (29/07), o GP da Hungria, em Hungaroring, 11ª etapa da temporada. Foi a segunda vitória de Hamilton no ano e 19ª na categoria. A dupla da Lotus, o finlandês Kimi Raikkonen e o francês Romain Grosjean completaram o pódio.

Com os carros posicionados no gris, a largada foi abortada, devido a um problema técnico. O alemão Michael Schumacher (Mercedes) desligou o motor de seu caro, e teve que ser empurrado para os boxes, enquanto os demais pilotos davam outra volta de apresentação.

Na largada o pole Hamilton manteve a ponta, seguido por Grosjean e o compatriota e parceiro de equipe Jenson Button, que superou o alemão Sebastian Vettel (Red Bull). O espanhol Fernando Alonso (Ferrari) era o 5º, seguido por Raikkonen.  O australiano Mark Webber (Red Bull0 fez uma ótima largada, e de 11º, passou para 7º.

Entre os brasileiros Bruno Senna ganhou uma posição, passando para 8º, a frente de Felipe Massa , que ao contrario, perdeu duas posições. O alemão Nico Hulkenberg (Force India) era o 10º.

Como de costume na Hungria, as ultrapassagens, mesmo com a liberação do uso do DRS (A ASA Traseira Móvel), eram difíceis. Na 16ª volta, Button foi o primeiro dos ponteiros a entrar nos boxes.  Três voltas depois o líder Hamilton entrou nos boxes, colocando pneus médios. Líder provisório, Grosjean parou na volta seguinte, permanecendo com pneus macios. 

Em primeiro lugar, Raikkonen entrou logo após o parceiro de equipe, também mantendo os macios. No retorno a pista, o finlandês ganhou a posição de Alonso. Após a primeira rodada de pits, Hamilton tinha 2s2 de vantagem sobre Grosjean. Butotn era o 3º, seguido por Vettel e Raikkonen. Senna e Massa mantiveram a 8ª e 9ª posições.

Na 24ª volta Grosjean diminuiu a vantagem de Hamilton para 0s9, permitindo o uso do DRS. Contudo na volta seguinte o francês cometeu um erro, com a diferença voltando para mais de dois segundos. Mesmo errando novamente (e escapando da pista) Grosjean voltou a diminuir a diferença, para pouco mais de um segundo, após a metade da prova.

Na 40ª volta Grosjean fez o segundo pit, colocando os pneus médios. Na seguinte Hamilton parou (trocando para os pneus macios), e deixou Raikkonen na liderança.  O Campeão de 2007 retardou a parada e para os boxes na 45ª volta, colocando pneus médios.

Raikkonen voltou à pista lado a lado com Grosjean. Na primeira curva o finlandês assumiu a segunda posição.  Na 46ª volta Button fez a sua terceira parada nos boxes.

Hamilton liderava com 4s4 de vantagem sobre Raikkonen. Grosjean era o 3º, seguido por Vettel, Webber, Alonso e Button, Senna, Massa e o alemão Nico Rosberg (Mercedes). 

Na 48ª volta o venezuelano Pastor Maldonado (Williams), na tentativa de passar o escocês Paul di Resta (Force India), acertou o carro do rival, que teve que escapar da pista para evitar um dano maior. Maldonado levou um drive-through pelo incidente.

Raikkonen começou a tirar a vantagem de Hamilton, diminuindo para menos de um segundo. O que permitia o uso do DRS. Mas na travada pista húngara, Hamilton conseguia controlar os ataques de Raikkonen.

Webber parou pela 3ª vez nos boxes, caindo de 5º para 8º. Vettel também parou, mas conseguiu manter a 4ª posição.

Faltando nove voltas para o final, Schumacher recolheu o carro para a garagem. Foi um final de semana terrível para o heptacampeão, que além alinhar em 17º e errar no grid, levou um drive-through por excesso de velocidade nos boxes.

Com o carro do indiano Narain Karthikeyan (HRT) parado em uma curva na 65ª volta, a bandeira amarela foi agitada, impedindo ultrapassagens naquele ponto, até o final da prova.

Hamilton recebeu a bandeirada com 1s032 de vantagem sobre Raikkonen. Grosjean completou o pódio. Fo ia 3ª vitória de Hamilton na Hungria (2007/2009/2012).

Vettel foi o 4º, seguido por Alonso e Button. Senna terminou em 7º, com Webber na 8ª posição. Massa e Rosberg fecharam a zona de pontos.

Fazendo a sua 100ª prova na F-1, o finlandês Heikki Kovalainen (Caterham) terminou em 17º.

Vettel marcou a melhor volta: 1m24s136.

Hamilton liderou 61 voltas (1-17/21-40/46-69), Raikkonen seis (20/41-45) e Grosjean duas (18-19).

Alonso lidera o campeonato com 164 pontos, trinta a mais do que Webber. Vettel é o 3º com 122, seguido por Hamilton com 117. Massa é o 14º com 25 pontos, um a mais do que Senna.

A F-1 entra em férias, e só retorna no dia 02 de setembro, com o GP da Bélgica, em Spa-Francorchamps.

Final:

1º – Lewis Hamilton (GBR) McLaren-Mercedes -69 voltas em 1h41m05s503
2º – Kimi Raikkonen (FIN) Lotus-Renault – a 1s032
3º – Romain Grosjean (FRA) Lotus-Renault – a 10s518
4º – Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault – a 11s614
5º – Fernando Alonso (ESP) Ferrari – a 26s653
6º – Jenson Button (GBR) McLaren-Mercedes – a 30s243
7º – Bruno Senna (BRA) Williams-Renault – a 33s899
8º – Mark Webber (AUS) Red Bull-Renault – a 34s458
9º – Felipe Massa (BRA) Ferrari – a 38s300
10º – Nico Rosberg (ALE) Mercedes – a 51s200
11º – Nico Hulkenberg (ALE) Force India-Mercedes – a 57s200
12º – Paul di Resta (GBR) Force India-Mercedes – a 1m02s800
13º – Pastor Maldonado (VEN) Williams-Renault – a 1m03s600
14º – Sergio Perez (MEX) Sauber-Ferrari – a 1m04s400
15º – Daniel Ricciardo (AUS) Toro Rosso-Ferrari – a uma volta
16º – Jean-Eric Vergne (FRA) Toro Rosso-Ferrari – a uma volta
17º – Heikki Kovalainen (FIN) Caterham-Renault – a uma volta
18º – Kamui Kobayashi (JAP) Sauber-Ferrari – a duas voltas
19º – Vitaly Petrov (RUS) Caterham-Renault – a duas voltas
20º – Charles Pic (FRA) Marussia-Cosworth – a duas voltas
21º – Timo Glock (ALE) Marussia-Cosworth – a três voltas
22º – Pedro de la Rosa (ESP) HRT-Cosworth – a três voltas

ABANDONOS
Narain Karthikeyan (IND) HRT-Cosworth – a seis voltas
Michael Schumacher (ALE) Mercedes – a oito voltas

VOLTA MAIS RÁPIDA
Sebastian Vettel (ALE) Red Bull-Renault – 1m24s136

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *