F1: Lewis Hamilton vence GP de Cingapura

O inglês Lewis Hamilton, da McLaren, venceu neste domingo (27/09), o GP de Cingapura, 14ª etapa da temporada. Foi a segunda vitória do inglês no ano. O alemão Timo Glock, de Toyota, terminou em 2º, com o espanhol Fernando Alonso, da Renault, completando o pódio.

Antes da largada o brasileiro Rubens Barrichello, da BrawnGP, cumpriu a punição, por ter trocado a caixa de marchas de seu carro, alinhando na 10ª posição, após ter feito o 5ª tempo no classificatório. O alemão Nick Heidfeld também foi punido, devido ao seu BMW Sauber estar abaixo do peso após o classificatório, caindo da 7ª para a última posição. A equipe decidiu trocar o motor e a caixa de câmbio do carro do alemão, que largou do pit lane.

 
Pole-position, Hamilton manteve a ponta na largada, com o alemão Nico Rosberg, da Williams, ganhando a segunda posição do compatriota Sebastian Vettel, da Red Bull.  Barrichello ganhou duas posições, indo para 7º, com o líder do campeonato, o inglês Lewis Hamilton, em 10º, após também ganhar duas posições.

Na 4ª volta o francês Romain Grosjean, da Renault, com problemas de freios, entrou nos boxes, abandonando. Na 6ª volta o australiano Mark Webber, da Red Bull, teve que abrir passagem para Alonso e Glock, por ter cortado o espanhol por fora na curva sete, caindo de quarto para sexto.

Com 15 voltas disputadas Hamilton tinha 3.1 segundos de vantagem sobre Rosberg. Vettel era 3º, seguido por Glock, Alonso, Webber, Barrichello e o polonês Robert Kubica, da BMW Sauber.

Vettel, o mais leve na pista, foi o primeiro a entrar nos boxes, na 18ª volta, permanecendo com pneus duros. Na volta seguinte Rosberg e Webber entraram nos pits. Rosberg pisou na linha na saída do pits, sendo punido com um drive-though, três voltas depois.

Barrichello e Glock entraram juntos na 20ª volta. Hamilton faz a sua parada na volta seguinte, mantendo a liderança no retorno a pista.

Lutando por posições no fundo do pelotão, o alemão Adrian Sutil, da Force India, pressionava o espanhol Jaime Alguersuari, da Toro Rosso, quando rodou, sendo atingido por Heidfeld, ao tentar voltar a pista. O Safety-Car foi acionado, devido a quantidade de pedaços de carros espalhados. Alonso, o finlandês Heikki Kovalainen e Button aproveitaram o Safety-Car, entrando nos boxes pela primeira vez.

Alguersuari deixou os pits antes do tempo, com a mangueira de combustível ainda presa ao carro, derrubando o mecânico. O espanhol voltou à corrida, com o mecânico não sofrendo ferimentos.

Atrás do Saferty-Car Hamilton era o líder, com Rosberg em segundo, mas ainda tendo que cumprir o drive-through. Vettel vinha em 3º, seguido por Glock, Alonso, Barrichello, Kovalainen e Button.

Sutil retornou aos pits na 25ª volta, abandonando. No final da volta o Safety-Car entrou nos boxes. Rosberg cumpriu a punição duas voltas depois, caindo par 14º. Na 35ª volta o alemão fez o seu segundo pit stop, raspando o muro no retorno a pista.

Vettel entrou pela segunda vez nos boxes na 40ª volta, voltando em 7º. Na volta seguinte Vettel recebeu um drive-through, por excesso de velocidade nos pits, Ele cumpriu a punição na 44ª volta, retornando em 9º, com a equipe mandando o alemão acelerar o quanto pudesse, pois havia a chance de assumir a quarta posição ao final dos pit stops.

Webber entrou nos boxes na 45ª volta, com a roda traseira esquerda soltando muita fumaça, sinal de problemas nos freios. Enquanto Glock parava na volta seguinte, Webber rodava, acertando a barreira, confirmando o problema nos freios.

Sem o Safety-Car ser acionado novamente; Hamilton, Kovalainen e Barrichello entraram nos boxes, na 47ª volta. Alonso assumiu temporariamente a liderança. Na 48ª volta os dois carros da Toro Rosso, de Alguersuari e do suíço Sebastien Buemi, entraram nos boxes, sendo recolhidos para as garagens.

Alonso parou pela segunda vez na 51ª volta, voltando em 4º. Button também entrou nos boxes, retornando em 5º, a frente de Barrichello. Após a prova Barrichello revelou que o seu carro morreu, quando não conseguiu engatar o ponto morto, perdendo tempo e a posição para Button.

Com todas as paradas feitas, Hamilton retornou a liderança, seguido por Glock, Alonso, Vettel, Button, Barrichello, Kovalainen e Kubica.

As posições se mantiveram inalteradas nas seis voltas restantes. Hamilton venceu com 9s6 de vantagem sobre Glock.

Button soma 84 pontos no campeonato, tendo agora 15 de vantagem sobre Barrichello. Com 59 pontos Vettell manteve as suas remotas chances de levar o título. Sem pontuar pela quarta vez seguida, Webber, com 51,5 pontos, não tem mais chances de título.

Faltam três provas para o fim da temporada. A próxima prova acontece no dia 04 de outubro, em Suzuka, no Japão. 

Final:

1. Lewis Hamilton GBR McLaren-Mercedes 61 voltas em 1h56m06s337
2. Timo Glock ALE Toyota a 9.634
3. Fernando Alonso ESP Renault a 16.624
4. Sebastian Vettel ALE Red Bull-Renault a 20.261
5. Jenson Button GBR Brawn-Mercedes a 30.015
6. Rubens Barrichello BRA Brawn-Mercedes a 31.858
7. Heikki Kovalainen FIN McLaren-Mercedes a 36.157
8. Robert Kubica POL BMW Sauber a 55.054
9. Kazuki Nakajima JAP Williams-Toyota a 56.054
10. Kimi Raikkonen FIN Ferrari a 58.892
11. Nico Rosberg ALE Williams-Toyota a 59.777
12. Jarno Trulli ITA Toyota a 1m13.009
13. Giancarlo Fisichella ITA Ferrari a 1m19.890
14. Vitantonio Liuzzi ITA Force India-Mercedes a 1m33.502

Abandonos:

Jaime Alguersuari ESPToro Rosso-Ferrari 47 voltas
Sebastien Buemi SUI Toro Rosso-Ferrari 47 voltas
Mark Webber AUS Red Bull-Renault 45 voltas
Adrian Sutil ALEForce India-Mercedes 23 voltas
Nick Heidfeld ALE  BMW Sauber 19 voltas
Romain Grosjean FRA Renault 3 voltas

Volta mais rápida:

Fernando Alonso ESP Renault 1m48s240 na 53ª volta    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *